Negociação Automática – O impacto da queda de 6% na Libra

Tiago Esteves
Duas semanas depois de ter passado a minha estratégia automática para a negociação real, apanho com um cisne negro em horário de sessão asiática, com todos os scalpers em funcionamento (stops longos e TP curto). Com 6 posições em aberto compradas em libra! Se procurava um teste aos mecanismos de protecção da conta, este não poderia ser melhor. Era uma daquelas situações que esperava surgir mais cedo ou mais tarde, mas pela raridade destes fenómenos de flash crash não contava certamente que surgisse já. Importa, por isso, fazer um balanço geral do ocorrido e retirar ilações.

Dada a minha enorme exposição longa naquele momento ao GBP, não tenho dúvidas que as coisas poderiam ter corrido mal se estivesse a negociar manualmente. Estava naquele momento com uma exposição longa de 46.000 libras, e uma queda de 6% representaria uma perda potencial para a conta superior a 3.000€ num minuto. O gráfico abaixo (print real da conta), de 1 minuto, mostra o tempo de reacção dos robots a este fenómeno. Três segundos depois do início do movimento foram fechadas duas ordens, aos 4 segundos mais duas, outra aos 8, e a última foi fechada aos 9. Esta diferença temporal deve-se ao facto de se tratarem de diferentes estratégias, com diferentes configurações de encerramento.

Dentro da tragédia, não posso deixar de considerar isto absolutamente fascinante. Seria humanamente muito difícil reagir tão rapidamente a uma situação destas. Mas o mais impressionante nem foi isso, já que podíamos (e devíamos) perfeitamente estar a negociar com stops, e os stops servem mesmo para estas coisas. O mais impressionante foi a recuperação proporcionada pelos robots trend-followers à perda provocada pelos scalpers. No minuto seguinte, os 2 robots de trend following detectaram um início de movimento e abriram posições compradoras aproveitando grande parte do movimento. Em lote mínimo neste caso, devido à configuração de risco que lhes ordenei seguirem, mas com sentido de oportunidade suficiente para praticamente reverterem a perda acumulada por aquelas 6 ordens. Arriscar-me-ia a dizer que 99% das pessoas que assistissem a um movimento como este não conseguiriam reagir no sentido de aproveitar uma oportunidade no minuto seguinte à ocorrência de um movimento tão forte e surpreendente como o ocorrido.

Depois de uma semana muito forte, o dia de ontem acabou por ser de drawdown, mas somente de forma ligeira se tivermos em consideração esta situação altamente excepcional. Houve outras perdas, decorrentes do expectável do aumento da volatilidade na sessão asiática e das flutuações da negociação, mas dias maus são mais que expectáveis e continuarão certamente a surgir daqui em diante.
Como consequência desta situação, passarei o mecanismo automático de drawdown control para 4% do total da conta, procedendo ao encerramento manual nos 6% de perda se esta não ocorrer de forma linear. Irei também rever a configuração de risco máximo por par, e provavelmente farei pequenos ajustes ao risco geral da conta. Apesar deste mecanismo de protecção suplementar ser obviamente um poderoso tranquilizador, ontem fiquei ainda mais com a sensação de que dificilmente o verei a ser utilizado.

P.S.: Deixei neste post um print da conta real, para o caso de o quererem comparar com os resultados que surgem no myfxbook. Pessoalmente nunca detectei nenhuma discrepância, mas como só conheço o site há meia dúzia de dias admito que possam eventualmente ocorrer alguma diferenças para a conta real. Se o print não for claro o suficiente, mandem-me mail e eu disponibilizo com todo o gosto a password de investidor da conta (read-only, sem modificação).

Deixe uma resposta