O primeiro gráfico dos CTT

Tiago Esteves
Cerca de um mês depois do início de cobertura a este fenómeno capitalista, a OPV dos CTT, tivemos finalmente o dia de estreia em bolsa! E foi uma estreia à Americana, carregada de emoções fortes! Deixo assim o gráfico do primeiro dia em velas de 5 minutos. O que começou por ser um surpreendente arranque, com 7% acima do valor da OPV, acabou em fecho junto ao agora suporte, os 5,52€ que estiveram na origem desta operação. O dia foi extremamente diverso, tão diverso que permitiu ganhos aos investidores de curto prazo e um moralizador fecho acima da linha de água aos investidores de médio e longo prazo.

Analisando o dia de forma algo superficial não tenho dúvidas de que terá havido compras institucionais no arranque da cotação. Só essas compras permitiriam uma abertura a 5.9€ quando o pânico se começava a instalar entre os pequenos investidores, só essas compras contribuiriam para que se transaccionassem tantos títulos na primeira meia hora de sessão como em todo o resto do dia. Nem poderia deixar de ser assim! Quem pretende fazer compras estratégicas não compra 150 acções de cada vez, compra os dumps…

Ao longo do dia recebi vários e-mails com dúvidas e comentários, sobretudo quando a cotação começou a ceder. Se me perguntarem o que eu acho do curto prazo, já o disse. O arranque foi surpreendente e os 7% de ganho não deveriam ter sido desaproveitados por quem entrou para vender rapidamente. Afinal, estamos a falar de uma valorização correspondente a 3 anos de depósitos a prazo na CGD!

Para quem está pelo longo prazo, as oscilações diárias são irrelevantes. Tanto faz um dia acima como dois abaixo, interessa é o balanço final. Pessoalmente levava uma estratégia dupla para o dia de hoje. Acabei por ficar com mais acções do que esperava no rateio e aproveitei a euforia do início da sessão para me desalavancar significativamente. A posição base é de médio prazo e por isso não será de todo recomendável ir vibrando com as oscilações diárias. Como tive oportunidade de comentar na página do blog no facebook, o acompanhamento contínuo da oscilação das cotações funciona como um inimigo dos position traders, é indutor de stress e ansiedade. E esses dois componentes são os principais ingredientes para a negociação irracional (a somar ao medo e à ambição).

Deixarei de acompanhar de forma tão próxima esta empresa e recomendo a todos os que pretendem negociar o médio prazo que façam o mesmo. Este post encerra assim a saga CTT! Como sempre acontece, haverá um update oportuno logo que o gráfico comece a definir uma tendência.

Pensamento final: A queda que a Galp teve nas duas primeiras sessões após a OPV não a impediu de subir 235% no espaço de um ano 😉

Comment List

  • Anónimo 05 / 12 / 2013 Reply

    Boas Tiago,

    Excelente texto como sempre, só ao alcance de alguém com muito conhecimento e experiência nos mercados.

    Eu como não fui à OPV porque não queria ficar com poucas, acabei por comprar hoje, talvez um pouco acima 5,86€.

    Mas como o objectivo é de médio prazo, também não vou estar tão próximo da cotação, até porque como dizes isso aumenta a ansiedade e stress e esses dois factores juntos não ajudam nada na tomada de uma decisão racional.

    Cumprimentos,
    André

    PS- Acho que amanhã com menos euforia podemos até assistir a um volte-face.

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 05 / 12 / 2013 Reply

    Obrigado pelo comentário, André.
    É verdade, para quem tem como referência o médio prazo não interessam muito as oscilações de curto prazo. Se a entrada teve por base os fundamentais, quanto mais a cotação descer mais o preço fica apetecível. Se a entrada for para assentar sobretudo na análise técnica, ainda não há muito para ver.

    Deixo-te uma sugestão, para futuras referências. Comprar a euforia matinal geralmente é penoso. Mais vale deixar ver como fecha. Se fugir, paciência! Há-de surgir outra oportunidade mais atractiva algures por aí:)
    Abraço

  • Anónimo 05 / 12 / 2013 Reply

    Mais uma dica que fica 😉 Mas apercebi-me disso quando tomei a decisão. A inexperiência tem destas coisas 😛

    Em relação à parte que dizes, quanto mais a cotação descer mais o preço fica apetecível, não estás a falar em preço médio, pois não? Só para perceber ehehe

    Abraço

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 05 / 12 / 2013 Reply

    Quando a entrada se baseia em análise fundamental as regras mudam um pouco… Sejamos simplistas, imagina que entramos somente com base no PER e na Yield. À medida que o preço diminui, se a empresa não se alterar, estes rácios vão-se tornando mais apetecíveis. Se o preço baixa o PER diminui e a Yield aumenta, o que arrasta os fundamentalistas para dentro e os tecnicistas para fora.

    Um tecnicista dir-te-à que fazer preço médio é estúpido. Um fundamentalista dir-te-à que é essencial. Eu geralmente defendo o preço médio nas subidas. Na descida, à laia de fundamentalista, só em situações muito óbvias de irracionalidade psicológica. Em 95% dos casos é má ideia fazer preço médio 🙂

  • João Cunha 06 / 12 / 2013 Reply

    Boa tarde.
    Sou um (muito) pequeno investidor, já "escaldado" por experiências anteriores menos felizes…
    Fiquei com 1550 ações dos CTT dado que apenas dei a minha ordem de compra no último dia. Por poucos cêntimos não as consegui vender logo no início, e agora estou com alguma necessidade de liquidez, pelo que terei que me desfazer de parte delas.
    Para ajudar a esta decisão, gostaria de saber QUANDO será que os CTT vão pagar os tão propalados dividendos? Existe alguma data já definida, ou pelo menos um prazo aproximado?
    Muito obrigado pela atenção, qualquer ajuda será sempre bem-vinda, como é evidente!…

    João Cunha

    PS: Parabéns pelo seu BLOG, que só descobri recentemente, está muito interessante e útil.

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 06 / 12 / 2013 Reply

    Olá João,
    Obrigado pelo comentário. O dividendo correspondente a 2012 foi pago em Junho de 2013. É provável que o dividendo correspondente ao exercício de 2013 seja pago em Junho de 2014.
    Cumprimentos,
    Tiago

Deixe uma resposta