“Obrigações que pagam 15% de cupão? Onde é que está o gato?”

Tiago Esteves
Vem este post a propósito destas obrigações Orey, com ISIN XS0720589174 e que prometem pagar 15% de juro ao ano até final de 2019 (podem ser recompradas pelo emitente a partir de 2016). Estas obrigações foram-me oferecidas na altura e continuam a ser oferecidas de forma particular a alguns clientes. Isto faz com que me continuem a chegar pedidos que começam mais ou menos da forma expressa no título deste post. Ora, como esta poderá ser uma questão transversal a muitas pessoas, deixo um pequeno esclarecimento sobre os “contras” de subscrever este produto. Existem alguns, apesar de ser um produto legítimo e que não esconde nada. Está tudo à vista….

– As obrigações estão cotadas em dólares. Isso obrigaria à realização de um hedging cambial para que não existisse o potencial de desvalorização da moeda que anulasse o cupão da obrigação. Se o hedging fosse feito com a própria Orey (ou outras semelhantes do grupo Saxo) custaria, por cada obrigação, cerca de 2500€ anuais. Mesmo utilizando para o efeito uma corretora com preços mais razoáveis, como a Activtrades, o hedging custaria ainda assim cerca de 150€ anuais. Portanto, dois pontos a ter em consideração no que a esta questão diz respeito para os que as estão a pensar adquirir: 1 – Façam hedging! 2 – Atenção ao local onde esse hedging é feito.

– O agente distribuidor e de cálculo está sediado nas ilhas Cayman. Isso é sempre aborrecido, porque a supervisão lá é muito ligeira. Mesmo sendo cobertas pela lei Britânica, eu ficaria de pé atrás no que respeita a este ponto.

– Não estão listadas em mercado secundário. Esta é a questão mais inconveniente e preocupante, na minha opinião. Não estando listadas em mercado secundário significa que não existe um preço oficial para elas vindo do mercado, só são negociadas OTC. Significado? Basicamente o preço é feito à medida da conveniência de quem as negoceia. Imaginem que as compram a 100% hoje e amanhã as querem vender. A vossa corretora pode perfeitamente dizer-vos: “Sim senhor, amigo. Mas hoje só já valem 80%. Os 100 mil dólares de ontem valem hoje 80 mil. É pegar ou largar!”. É esse o problema das aquisições OTC, ficamos totalmente dependentes de um preço fabricado e podemos ter de as levar à maturidade para não incorrermos em perdas. E é por isso também que eu não compro obrigações não listadas, a menos que as queira expressamente levar até à maturidade.

– O facto de cada obrigação valer 100 mil dólares torna-as de difícil acesso para a maioria das contas, de ainda mais difícil acesso para quem quer diversificar. 

Como veredicto, deixem-me dizer que até acho o produto interessante, desde que o objectivo seja levá-lo até à maturidade e associado a diversificação. Na altura ponderei este produto durante três segundos, tendo-o afastado do pensamento por um motivo simples: só compraria uma obrigação destas se a minha conta valesse 1 milhão de euros, limitando o risco da aquisição a 10% da carteira. Como infelizmente não vale, não é uma obrigação para mim.

Comment List

  • Filipe 10 / 06 / 2014 Reply

    E relativamente ao juro oferecido? 16%? E eu que pensei que o juro das recentes obrigações do FCP já era suspeitosamente elevado… Mas isto é quase ao nível de dona branca. Com um juro tão elevado dá para supor que o risco de incumprimento é grande?
    Cumps,
    FilipeBS

  • Duarte Moreira 10 / 06 / 2014 Reply

    …Só compraria uma obrigação destas se a minha conta valesse 1 milhão de euros, limitando o risco da aquisição a 10% da carteira". Foi isto que também disse ao individuo da Orey. Já agora Tiago, o que te parecem as obrigações BEST OF também da Orey?
    Grande abraço,
    Duarte Moreira

Deixe uma resposta