OCDE aponta para estabilização do crescimento no conjunto da organização

Agência Lusa

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) continua a apontar para uma estabilização do crescimento económico nos próximos seis a nove meses no conjunto da organização, com base em indicadores referentes a outubro, foi hoje anunciado.

Os indicadores compósitos avançados, que assinalam inflexões no ciclo económico com uma antecipação de entre seis a nove meses, continuam a apontar para um crescimento estável na OCDE como um todo, mas com o crescimento a manter-se abaixo da tendência de longo prazo (100 pontos) nas maiores economias da organização e nas maiores economias emergentes, refere a OCDE num relatório mensal, hoje publicado.

Segundo a OCDE, os indicadores compósitos apontam para um crescimento estável para a zona euro como um todo, incluindo França e Itália, bem como para o Japão e o Canadá.

Em relação a Portugal, o indicador compósito avançado da OCDE subiu pelo sexto mês consecutivo em outubro, designadamente 11 centésimas, para 99,13 pontos, mantendo-se assim abaixo dos 100 pontos desde novembro de 2018. O índice compósito da OCDE para Portugal igualou 100 pontos em outubro de 2018.

Sinais de estabilização do crescimento também estavam a emergir nos Estados Unidos (+4 centésimas para 98,86 pontos), na Alemanha (+5 centésimas para 98,77 pontos) e no Reino Unido (inalterado em 98,93 pontos), onde permanecem elevadas margens de erro devido à manutenção da incerteza resultante do ‘Brexit’, adianta a organização.

Entre as maiores economias emergentes, os indicadores apontam para crescimento estável no Brasil (+7 centésimas para 102,24 pontos), Rússia (inalterado em 99,49 pontos) e China (+9 centésimas para 99,19 pontos), indica a OCDE.

Em relação à Índia, a OCDE refere que os indicadores continuam a apontar para uma aceleração do crescimento.

MC // MSF

Lusa/Fim

Deixe uma resposta