Onze empresas pré-qualificadas para a expansão do metro do Porto

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A Metro do Porto revelou hoje que seis empresas candidatas à construção da Linha Rosa, no Porto, foram consideradas aptas, enquanto sete foram pré-qualificadas para a extensão da Linha Amarela em Vila Nova de Gaia.

Numa notícia publicada no site da Metro do Porto, a empresa revela que 11 consórcios foram considerados “aptos a construir as novas linhas do metro”, sendo que, relativamente à nova Linha Rosa, o júri pré-qualificou seis das 10 candidatas e, para a linha Amarela, foram pré-qualificadas sete das 11 empresas que apresentaram propostas.

O concurso prossegue agora com um “período de audiência prévia, no qual os candidatos podem apresentar questões e eventuais reclamações” e, depois, a Metro do Porto vai convidar as empresas pré-qualificadas “a apresentarem a sua proposta de preço para a execução das duas empreitadas de expansão da rede”.

“Trata-se de um investimento global na ordem dos 300 milhões de euros, que acrescentará seis quilómetros e 10 milhões de novos clientes à rede do Metro”, lembra a empresa.

Em causa está o prolongamento da Linha Amarela, entre Santo Ovídio a Vila d’Este, em Vila Nova de Gaia, e a construção da Linha Circular (Linha Rosa), entre os Aliados/Praça da Liberdade e a Casa da Música, no Porto.

A Metro do Porto anunciou a 17 de julho que 11 empresas apresentaram propostas para a extensão da Linha Amarela e que 10 eram candidatas à execução da nova Linha Rosa.

Na ocasião, a Metro do Porto informou que, “até ao final do trimestre, convidará as empresas admitidas na pré-qualificação a apresentarem a respetiva proposta de preço para a execução das referidas empreitadas”.

No início de abril, quando foram lançados os concursos para as duas obras, o ministro do Ambiente apontou para daqui por três anos, em 2022, a conclusão das empreitadas.

O aviso publicado no Diário da República (DR) indica “42 meses” (quatro anos) como “prazo de execução do contrato” da construção da linha Rosa do Porto, com o valor base de 175 milhões de euros.

Quanto à obra de Vila Nova de Gaia, o prazo de execução previsto no DR é de “34 meses” (dois anos e dez meses), com o valor base de 95 milhões de euros.

Atualmente, o Metro opera em sete concelhos da Área Metropolitana do Porto através de uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, utilizadas anualmente por cerca de 60 milhões de clientes, de acordo com dados da empresa.

A frota da Metro do Porto é, atualmente, constituída por 102 veículos: 72 do tipo Eurotram e 30 do tipo Tram-train.

ACG // LIL

Lusa/Fim

Deixe uma resposta