Plano de trading

Tiago Esteves

Crio este tópico por uma razão especial: as cotações começam a subir e ninguém quer perder o movimento de alta. Então compra-se, sem se saber muito bem porquê nem o que fazer depois de comprar. Mas comprar é fácil. Demasiado fácil, até! O problema é sair.
Um plano de trading permite-nos reflectir sobre o que estamos a fazer e, de preferência, sobre o que vamos fazer. Deve ser feito quando os mercados estão encerrados, para termos a certeza que não estamos a ser levados pela emoção do sobe e desce. Criei um pequeno rascunho do que pode ser um plano de trading, só para exemplificar. Se se lembrarem de mais algum aspecto importante que eu não tenha abordado, digam e eu adiciono.
Neste rascunho englobei os aspectos que considero mais importantes para serem analisados antes de uma entrada. Realço estas palavras porque entrar com o coração e depois fazer o plano de trading é batota. É equivalente a estarmos a forçar o plano a adequar-se ao nosso erro. Os bons planos de emergência têm forçosamente de ser criados em ambiente de segurança, não depois de a emergência estar instalada!

Comecemos então a analisar o rascunho. Os primeiros pontos são mera formalidade, apenas necessários para nos situarmos. Infelizmente são os únicos a que muitos investidores dão destaque. Uma nota apenas para a data estimada para o fecho da posição. Este item é subjectivo, nem se pretende sequer muito rigor. A ideia fundamental é não deixar que um daytrade se transforme num trade de um mês.
O primeiro ponto de interesse passa pelos motivos que levaram à entrada. “Porque já caiu muito” ou “Porque sinto que isto está a virar” ou “Porque uma casa de investimento disse que tem um potencial de subida de 100%” não são motivos válidos. Têm de ser escritas aqui razões válidas e concretas. Este é talvez o ponto mais importante de todo este rascunho. Se nós próprios não sabemos ao certo porque entramos, quem vai saber por nós? Seja a análise técnica ou a análise fundamental que nos moveu a comprar, temos de saber exactamente todas as razões para a entrada.
Adiante.

O Target estimado e a Rentabilidade potencial são os próximos passos. Se estivermos, por exemplo, a avaliar um padrão gráfico, podemos apontar o seu target. Se estivermos a negociar num canal também é fácil calcular um target. O importante é termos uma meta, se não tivermos uma meta em mente nunca vamos saber se já chegamos.
Esta é também uma fraqueza de muitos investidores. O trade é promissor, os motivos de entrada são válidos. Mas não há um target! Quando se apanham com algum lucro abandonam o trade, perdendo a melhor parte da festa. Para o trade ser proveitoso, têm de existir objectivos. Senão o peso dos lucros vai sempre falar mais alto.

O Stop Loss e a Perda potencial são o tal plano de emergência de que eu falei. Seja um Stop mental ou mecânico, tem de existir. Por muito correcta e fiável que nos pareça a análise, o plano de fuga é vital para a sobrevivência nos mercados. E atenção, o plano de emergência traçado antes de o trade iniciar não é para alterar num momento de crise. Acontece muitas vezes o stop ser subido quando as cotações se estão a aproximar dele. Isso é ter esperança de que as coisas mudem, é ser humano. Se formos humanos, se sentirmos e agirmos como tal, estamos tramados. Por isso, toca a deixar de ser humanos quando estamos a negociar!
Chamo a atenção para a perda potencial. Quando chegamos a este ponto, convém olhar para a rentabilidade potencial e comparar tamanhos. Há quem aponte como essencial a rentabilidade potencial ser o dobro da perda potencial. Eu acho que isso é subjectivo. Essencial é a rentabilidade potencial ser superior à perda potencial, senão estamos estatisticamente tramados!
Também é muito importante sabermos porque escolhemos esta zona de saída. Se a razão é “porque só quero perder 2%” ou “porque não quero perder mais de 100€” temos grandes probabilidades de perder os 2% e/ou os 100€. Porquê? Porque se o stop é rígido, não há nada que impeça o flutuar dos mercados de o atingir.
Normalmente baseio os meus stops em zonas de suporte ou resistência. Se o meu limite de dor são 100€ e o stop se encontra a 200€ de distância, eu reduzo a posição para metade e fica resolvida essa questão! Para grandes males, grandes remédios.

No local dos Aspectos a melhorar no futuro devem ser colocados todos os erros de raciocínio ou execução que foram detectados durante o trade. É aqui que deve ser apontado o que falhou, para ser analisado no futuro e não voltar a acontecer. Errar todos erramos, eu até posso orgulhosamente dizer que sou dos que erra mais. Mas se não aprendemos com os erros, vamos necessariamente voltar a cair. E para isso mais vale estar quieto.

Espero que este post sirva de alguma coisa, nem que seja para gerar alguma reflexão. Da próxima vez que me perguntarem onde deverão sair ou entrar, vou ter de perguntar primeiro se os trabalhos de casa estão feitos:)
Abraço

Deixe uma resposta