Político democrata admite que vendeu alma ao diabo ao alinhar com lóbi das armas

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Um democrata, que ajudou a anular a interdição de armas enquanto congressista do Estado do Ohio e antes de ser demitido de procurador-geral estadual, confessou hoje que “estava no bolso” do lóbi das armas, a NRA.

Em artigo publicado no domingo, no sítio noticioso Cleveland.com, Marc Dann admitiu “estava no bolso da National Rifle Association (NRA)” para proteger a sua carreira política, o que agora lamenta.

No seu texto, Dann apelou aos eleitos que vivam de acordo com os seus princípios, quando os EUA debatem o controlo de armas, no seguimento do tiroteio numa escola no Estado da Florida, que provocou 17 mortos, em 17 de fevereiro.

“A operação de propaganda da NRA, admiravelmente orquestrada, financiada pelos fabricantes de armas de assalto usadas em tiroteios atrás de tiroteios, convenceu-me, a mim e a centenas de outros titulares de cargos públicos, que só por falarem em segurança relacionada com armas iria acabar com as suas carreiras políticas tão depressa quanto uma (espingarda automática) AR-15 eliminou vidas no último Dia de São Valentino”, escreveu Dann. “A ameaça funcionou”, resumiu.

O democrata afirmou que fez “um pacto com o demónio” ao adotar posições favoráveis ao lóbi das armas, que acabaram por o fazer sentir desconfortável, para conseguir manter-se nos cargos públicos e conseguir outros objetivos que via como importantes.

“O negócio compensou. Fui reeleito para o Senado estadual e consegui uma extraordinária vitória para me tornar o procurador-geral do Ohio, graças, em grande parte, ao facto de a NRA e a Buckeye Firearms (outra associação pró armas) terem ‘educado’ os votantes pró armas”, escreveu.

“Porém, aprendi depressa que, ao fazer este acordo com o demónio para avançar a minha carreira política, abandonei os meus princípios e vendi a minha alma”, confessou.

Esta posição franca de Dann é tomada uma década depois de ter saído da carreira política, no seguimento de um escândalo sexual, que envolveu terceiros, no gabinete do procurador-geral.

No seu texto, Dann avançou que, enquanto senador estadual, apoiou legislação para anular a interdição de armas de assalto em Cleveland e outras cidades, juntando-se aos republicanos para derrotarem o veto do governador, também republicano, Bob Taft, e depois, “enquanto procurador-geral do Ohio”, combateu os líderes de Cleveland, quando estes procuraram reinstaurar a interdição de armas na cidade.

RN // ARA

Lusa/Fim

Deixe uma resposta