Portfolio Surfar a Tendência – DNN

Tiago Esteves

Tiago Esteves

, Sem categoria

A próxima empresa a ingressar no portfolio será a DNN. É uma empresa bastante técnica e com um potencial de crescimento fantástico. Até ao momento, é a empresa que apresenta uma relação ganho/perda mais favorável, superior a 20/1. Depois de ter quebrado uma resistência muito importante, com volumes sempre crescentes, tem vindo a consolidar. Esta consolidação, uma aparente bandeira, tem-se feito com volumes cada vez mais baixos. Uma vez mais terei de entrar antes da efectiva activação do padrão por receio de a deixar “fugir”, dadas as regras do portfolio. O ideal seria deixar uma ordem de trigger acima do padrão. Neste caso, estamos sobre uma importante zona de suporte, e isto deverá ser suficiente para activar o padrão em alta.

Em caso de activação, a projecção aponta para um valor superior a 6 dólares e, embora pareça algo irreal, o que é certo é que a única resistência de relevo acima da actual se situa exactamente nos 6 dólares. O stop poderá vir a ser algo curto, dada a volatilidade do título em causa. Mas com o padrão por activar, não posso arriscar mais, temos de ter sempre em mente que o nosso plano pode sair furado.

O objectivo será manter o título em carteira até uma eventual quebra em baixa da zona de suporte. Stop-loss fica nos 1,64 dólares

Lista de Comentários

  • Anónimo 31 / 05 / 2009 Reply

    Olá Tiago boa noite, tudo bem? Espero que sim. Tiago, como sabes sigo sempre muito atentamente todas as tuas analises e a passagem aqui pelo teu blogue é já quase que obrigatória, muito mais agora com estas tuas estratégias todas postas a “nu” que na realidade são uma delicia para quem quer aprender mais um pouco (ou muito mais) como eu. Tiago, penso que já te disse que comprei um livro que, segundo comentários teus é uma referencia na analise na formação dos padrões nas cotações das acções (Analise Técnica – Tendência e Formações de Preços), livro que estou neste momento a ler (aos poucos), por acaso este fim-de-semana estive a ver a parte das formações de preços onde é abordado p.ex. os duplos fundos e olhando para a acção em analise será que não podemos estar na presença de um? Com aquilo a que dizes ser uma suposta bandeira, ser um pull-back (a percentagem de pull-back não será bem esta mas…)?
    Já agora Tiago e falando do mesmo livro, que grau de interesse dás ao open interest?
    Mais uma perguntinha…Tiago como é que fazes e que critérios usas para encontrar as acções que escolhes para as tuas entradas? São tantas as acções e os mercados que por vezes sinto-me perdido, sem saber para onde me virar, neste momento estou apenas no mercado português mas pelo que vejo, o nosso mercado é uma brincadeiras à beira dos outros, eu sei que o que sobe muito também desce muito, mas (sigo algumas acções americanas das renováveis que já subiram 300% e eu a olhar para elas)….
    Por ultimo, deixa-me perguntar-te so se acreditas que o bull market já deu sinal de partida ou se ainda consideras estes últimos movimentos como mais um bear market rally?
    Por agora é tudo Tiago e desculpa lá abusar da tua boa vontade, já há muito que não te chateava e gostava de ouvir a tua opinião em relação a estes pontos.
    Desde agradeço a tua disponibilidade.
    Grande Abraço

    Daniel Sousa.
    (Dansousa)

  • Tiago Esteves 01 / 06 / 2009 Reply

    Olá Daniel!
    Sim, já me tinhas dito que o tinhas comprado e ias começar a ler, vais ver que não te vais arrepender. É um livro excelente, que aprofunda de forma simples as bases da análise técnica.
    No caso deste título, é bem provável que estejamos perante um duplo fundo. Ao contrário do que a maioria pensa, os duplos fundos não têm de ser simétricos, tocar no mesmo suporte. Muitas vezes a segunda perna do W não chega a tocar no suporte, mostrando que existe forte pressão compradora a impedir as quedas. Estes fundos assimétricos têm tanta validade como os simétricos.
    Em relação ao Pullback, o que lhe retira o sentido é mesmo isso que referiste, a percentagem. Um pullback não deve ultrapassar os 3-7%. Mas podemos falar, por exemplo, em reteste ao suporte quebrado. De qualquer forma, parece-me que a teoria da consolidação encaixa neste caso.
    O Open Interest tem muito interesse mas sobretudo para quem negoceia opções. Para mim, que utilizo apenas CFD’s e Acções, não faz tanto sentido. Ainda assim é importante sabermos como está o open interest para termos uma perspectiva geral dos mercados, se estão demasiado sobrecomprados ou sobrevendidos. Pena não ser tão fácil de aceder como o volume, por exemplo. Só pode ser consultado em sites específicos.
    Em relação à tua outra questão, vou-te dizer como faço. Tenho listas no Prorealtime, listas que criei para colocar os títulos que considero mais interessantes. De vez em quando agarro num mercado qualquer e começo a analisar os seus títulos, um a um, procurando acções que sejam tecnicamente correctas, que respeitem suportes, resistências e linhas de tendência. As poucas que cumprem esses critérios vão sendo adicionadas às listas que eu criei. Depois é só ir fazendo uma revisão a essas pré-seleccionadas, tirando notas e vendo a sua evolução. Quando se encontram interessantes, basta comprar/vender. Dá trabalho, é um processo contínuo, interminável. Mas sem trabalho não há sucesso.
    Se eu acredito que já estamos em Bull Market… Sinceramente, não sei. Alguns títulos já estão, é sobre esses que me quero concentrar. Em relação aos mercados, logo descobriremos;)
    Não te preocupes, vai perguntando, é um prazer conversar contigo.

    Abraço,
    Tiago

Deixe uma resposta