Portugal destrona China e volta a ser líder na origem das importações angolanas

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Portugal reassumiu no final de 2017 a liderança entre os países que mais vendem a Angola, destronando a China, que tinha chegado ao primeiro lugar no terceiro trimestre e que se mantém como principal destino das exportações angolanas.

Os dados constam do documento estatístico do comércio externo no quarto trimestre de 2017, divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola, que refere que as exportações portuguesas para o país até desceram, face ao trimestre anterior, 8,4%, para um volume global de 104.209 milhões de kwanzas (560 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura).

O documento, ao qual a Lusa teve acesso, indica que a quota das importações com origem em Portugal subiu 18,3% mas influenciada pela quebra nas vendas desde a China, que perdeu a liderança ao fechar o último trimestre do ano com um volume de negócios de 85.288 milhões de kwanzas (460 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura) e uma quota de 15%.

A China já tinha estado na liderança das importações angolanas no ano de 2016, tendo então destronado Portugal.

No terceiro lugar do destino das importações angolanas nos últimos três meses de 2017 surge a Bélgica, que quase duplicou as vendas face ao trimestre anterior, para 35.812 milhões de kwanzas (190 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura) e uma quota de 6,3% do total.

No plano inverso, a China mantêm-se como o maior comprador das exportações de Angola, posição que reforçou para uma quota de 55,3 do total no quarto trimestre de 2017, essencialmente de petróleo. Traduz-se em 953.677 milhões de kwanzas (5.150 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura), um crescimento, em valor, de 30,1%, face às compras que a China fez a Angola nos três meses anteriores.

A Índia mantém-se no segundo lugar e também aumentou o valor das compras – devido à subida da cotação do petróleo no mercado internacional -, passando a ter uma quota sobre o total das exportações angolanas de 10,3%, contra os anteriores 6,3%. Essas compras aumentaram no quarto trimestre do ano para os 177.384 milhões de kwanzas (950 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura).

Segue-se Taiwan, com uma quota de 5%, ao comprar 85.975 milhões de kwanzas (460 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura) de exportações angolanas.

Portugal volta a figurar entre os 12 principais destinos das exportações feitas por Angola, neste caso entre outubro e dezembro de 2017, tendo comprado produtos no valor de 21.817 milhões de kwanzas (115 milhões de euros, à taxa de câmbio da altura).

PVJ // PJA

Lusa/Fim

Deixe uma resposta