Portugal Telecom – Análise Semanal

Tiago Esteves
A vencedora da sondagem desta semana foi a Portugal Telecom. Dura missão que me deixaram, a de analisar um título que me enche de dúvidas!
Depois de na última análise eu ter ficado com a ideia de que a PT iria andar uns tempos em lateralização, parece-me agora que a força ascendente que é visível no curto/médio prazo a pode levar um pouco mais acima. Se olharmos para o gráfico diário ficamos com a ideia de que se poderá ter activado recentemente um duplo fundo. Será esse duplo fundo suficiente para produzir uma inversão de longo prazo? Parece-me precoce pensar nessa possibilidade…

Olhando para o gráfico semanal fico sem dúvidas de que o bear mode de longo prazo se mantém presente, pelo menos até que uma eventual quebra em alta do máximo relativo nos 4,18€ seja efectivada. No curto/médio prazo parecem de facto existir diversos sinais animadores a somar ao duplo fundo, nomeadamente os padrões de consolidação que se formaram na subida e o volume decrescente associado aos períodos de congestionamento. Pelo lado “negativo” aponta-se esta subida de 25% sem deixar suportes! Isso poderá significar uma correcção mais severa do que o expectável, o que pode levantar dúvidas a quem está dentro. Pior do que isso, a ausência de suportes aumenta significativamente o risco de quem está fora pois os pontos de entrada segura estão demasiado distantes!

Havendo uma forte resistência nos 3,5€, dificilmente a cotação a ultrapassará sem vir um pouco mais abaixo tomar fôlego primeiro. Eventualmente até à zona dos 3.15€, que é onde poderemos encontrar um ténue suporte. Se vier a essa zona talvez se justifique uma tentativa de entrada longa, apostando numa inversão de tendência secundária. Haverá sinais suficientes de que esta inversão pode estar a dar-se? Alguns, não os suficientes. Repare-se no que aconteceu no ano passado, com a formação de um padrão em tudo semelhante ao actual. Apesar de ter dado início a um ciclo ascendente e de ter sido cumprida a projecção, isso não foi suficiente para uma inversão de longo prazo nem para impedir que as cotações mergulhassem abaixo da linha de activação depois de terem arrancado em alta. Ainda assim, os sinais positivos existem e não devem ser ignorados! A juntarmos ao duplo fundo e ao padrão de volume temos outro sinal, a inversão do padrão de máximos/mínimos relativos, também à semelhança do que aconteceu há um ano atrás.

Se me obrigassem a abrir uma posição na PT para fechar daqui 6 meses posicionar-me-ia provavelmente do lado longo. Se me obrigassem a abrir a mesma posição mas para a fechar no próximo mês posicionar-me-ia provavelmente do lado curto. Como felizmente ninguém me obriga a tomar essa decisão, de momento manter-me-ei de fora, expectante, atento, a aguardar sinais mais consistentes de inversão. Em breve saberemos se é desta que ela arranca em definitivo ou se estamos perante mais um falso alarme.

Deixe uma resposta