Portugal Telecom – Análise Semanal

Tiago Esteves
A Portugal Telecom foi a grande vencedora da sondagem semanal. Depois de um ressalto de médio prazo que lhe valeu uma subida próxima dos 50% num ano, o seu ciclo descendente de longo prazo mantém-se. E, para já, não há quaisquer sinais de que essa tendência esteja próxima de se alterar.

Este pequeno bull mode na tendência de médio prazo foi extinto por um H&S assimétrico de inversão. Os três “ombros” que surgiram à direita da cabeça são indicativos da força de suporte conferida pela neckline, mas não desvirtuam o conceito. E sinal disso é a energia com que se deu a quebra descendente após o pullback à neckline. A pressão compradora residente naquela zona esgotou-se de uma vez e o valor da acção caiu mais de 20% num curto espaço de tempo, números significativos para um título que se move lentamente. De notar que esta quebra aconteceu com forte volume crescente, coincidindo também com a chamada “cruz da morte”. Apesar de eu não negociar cruzamentos de médias móveis, vejo-os como um indicador interessante. E de facto na PT estes cruzamentos têm apresentado uma precisão considerável. Só nos últimos quatro cruzamentos, a negociação com recurso exclusivo a este indicador teria rendido cerca de 160% de lucro (sendo consideravelmente mais lucrativos os cruzamentos coincidentes com a tendência principal) .

Assistimos durante este mês ao que pode ser um início de um período de lateralização na PT. A vela do dia 15 mostrou indícios de forte pressão compradora abaixo da zona dos 2,69€, com significativo volume a selar a recuperação de 4% intradiária. Da mesma forma, as velas do dia 23 e 24 confirmaram também a força da resistência nos 3€. Mesmo estando consideravelmente pessimista no que diz respeito ao PSI-20, acredito que poderá formar-se um canal de lateralização na PT durante algum tempo a rondar o intervalo 2,7-3€. A confirmar-se poderá abrir interessantes oportunidades de negociação, por ser um canal com uma amplitude de 12%. Admito que estou a entrar ainda mais do que geralmente nas “artes da adivinhação” mas parece-me um cenário plausível o suficiente para ser considerado.

Factos? A PT continua mergulhada num profundo bear mode e não há qualquer sinal de inversão de longo prazo. Todas as entradas de longo prazo serão tentativas de apanhar facas em queda, até prova em contrário. A negociação de curto prazo deverá ser feita preferencialmente a favor da tendência principal, já que a força das probabilidades continuará do lado da quebra em baixa.

Deixe uma resposta