Portuguesa Easypay abre capital a investidor espanhol para se internacionalizar

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A ‘fintech’ portuguesa Easypay tem um novo acionista, a gestora de fundos espanhola Fidentiis Gestión, que ficou com uma participação inferior a 10%, um negócio para acelerar a internacionalização, disse à Lusa o presidente da empresa.

Sebastião Lancastre não quis indicar o valor do negócio, mas referiu que o investidor avaliou a Easypay em sete milhões de euros, pelo que para uma participação inferior a 10% o investimento terá sido menor do que 700 mil euros.

“Temos tido algumas propostas nos últimos anos e escolhemos aquela que achamos que fazia mais sentido na estratégia de internacionalização”, afirmou, considerando que a gestora de fundos dá complementaridade ao negócio da empresa de pagamentos Easypay ao ter muita experiência no mercado espanhol e muitos contactos para abrir oportunidades, sobretudo quando está a entrar em vigor a diretiva de pagamentos PSD2 que possibilitará novos negócios.

O empresário era até agora o único acionista da Easypay e foi ele que alienou uma parte da sua empresa ao novo investidor.

“É determinante para nos ajudar a continuar a crescer à taxa a que estamos crescer, que tem sido de 40% este ano e queremos que se mantenha”, considerou.

A Easypay quer entrar no mercado espanhol com soluções de ‘market place’, um agregador ‘online’ de comerciantes, tipo Amazon.

Sebastião Lancastre disse ainda que a Easypay ganhou recentemente um contrato com a Segurança Social para três anos.

“Ganhámos o concurso da Segurança Social, vamos gerir parte dos pagamentos. Durante três anos vamos processar mais de 1,4 mil milhões de euros”, afirmou.

Os pagamentos que a Easypay vai processar são referentes a processos de execução de dívidas. O contrato entra em vigor em 01 de junho.

A Easypay lucrou mais de 170 mil euros wm 2018, um crescimento de 22% em relação ao ano anterior.

Já o volume de pagamentos da Easypay registou uma subida de 41% em 2018, que se refletiu num valor de 178 milhões transacionados, segundo o comunicado divulgado em fevereiro.

O volume de negócios, por seu turno, aumentou 23% no ano passado, para 2,16 milhões de euros, face ao exercício de 2017.

IM // JNM

Lusa/fim

Deixe uma resposta