PSI20 – Análise Técnica (Parte 2, Momento Actual)

Tiago Esteves
Depois de verificada a tendência primária descendente do PSI20 importa analisar o actual momento para tentar antever quais serão os seus próximos movimentos.
Comecemos pela tendência secundária. O movimento ascendente, iniciado em Junho de 2012, que permitiu ao índice recuperar 46% em pouco menos de um ano teve por base um consistente padrão de higher lows. Significa isso que cada mínimo relativo ia sendo mais elevado que o anterior.

A interrupção desse padrão coincidiu com a activação do duplo topo, em Junho de 2013, depois da quebra em baixa do suporte situado nos 5535 pontos. Após a activação, que aconteceu sob volumes crescentes, pôde definir-se que a projecção para este duplo topo aponta para os 4800 pontos.
O pullback ao suporte quebrado (apesar do fraco volume) não encontrou resistência e abriu caminho para um movimento terciário. Este movimento, o actual, acabou por se confirmar em definitivo após uma ilha de inversão criada com forte volume ascendente.

Embora este movimento de alta já leve cerca de 15% de ganho e um mês de duração, dificilmente se poderá esperar que dure muito mais tempo. Como se viu anteriormente, as tendências dominantes são claramente de baixa e nada leva a crer que isso se venha a alterar com base neste movimento terciário. Se associarmos o actual momento ao aparecimento de diversos padrões de inversão nos títulos que compõem o índice, parece confirmar-se que esta subida será mais uma bull trap.

Felizmente, é muito provável que venhamos a descobrir em breve a direcção que o mercado tomará nos próximos meses. Se o actual movimento se estender e quebrar em alta e de forma consistente os 6360 pontos poderemos assistir de facto a uma inversão definitiva de tendência, em todos os horizontes temporais. Se, pelo contrário, a pressão vendedora se intensificar e a zona da ilha de inversão for quebrada em baixa, confirma-se mais um ciclo descendente na tendência secundária.
Por muito gosto e tranquilidade que me desse inverter as posições curtas para posições longas, nada do que vimos actualmente me leva a acreditar que estejamos perante o momento da inversão definitiva. Até que o anterior higher low de longo prazo seja quebrado em alta todas as tentativas de aproximação deverão ser aproveitadas para reforçar as posições curtas.

Deixe uma resposta