PSI20 cai 1,62% com Navigator a liderar perdas ao descer quase 8%

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, encerrou hoje com uma descida de 1,62% para 5.537,21 pontos, acompanhando a tendência das principais bolsas europeias.

Das 18 cotadas que integram o PSI20, 17 empresas desceram e uma subiu. A Navigator liderou as perdas, com uma desvalorização de 7,74% para 4,60 euros.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) garantiu hoje de manhã estar a acompanhar com “especial atenção” o comportamento dos títulos da Navigator, após estes terem caído 18,2%, a maior queda percentual de sempre, na sequência da empresa ter avançado que vai contestar judicialmente a taxa sobre vendas de papel aplicada pelos EUA.

Nas principais descidas figuram ainda, a Semapa, que perdeu 4,66% para 18,82 euros, a Altri, que cedeu 3,34% para 8,67 euros, os CTT, que baixaram 2,11% para 3,16 euros, a Sonae Capital, que recuou 1,72% para 0,86 euros e o BCP, que desvalorizou-se 1,52% para 0,26 euros.

Ainda dentro das principais perdas ficou a REN, que desceu 1,45% para 2,45 euros, a Mota-Engil, que caiu 1,38% para 2,85 euros, a EDP, que baixou 1,10% para 3,42 euros e a Pharol, que cedeu 1,09% para 0,23 euros.

Com descidas inferiores a 1% ficaram a F.Ramada (10,10 euros), a Corticeira Amorim (10,54 euros), a Jerónimo Martins (12,93 euros), a NOS (4,92 euros), a Ibersol (9,64 euros), a Sonae SGPS (0,98 euros) e a Galp (17,66 euros).

No lado dos ganhos, ficou a EDP Renováveis, que avançou 0,17% para 8,78 euros.

No resto da Europa, Madrid cedeu 0,75%, Frankfurt 0,53%, Londres 0,32% e Paris 0,04%.

As bolsas europeias estão hoje a negociar em baixa, pressionadas pela descida da lira turca face ao dólar norte-americano que atingiu recordes históricos na sexta-feira.

O Banco Central da Turquia anunciou hoje a injeção de seis mil milhões de dólares no sistema financeiro do país para garantir a liquidez dos bancos e travar a queda da lira turca face ao dólar norte-americano.

Através de um comunicado, o Banco Central da Turquia (TCMB) referiu que reduz os limites de reservas das divisas permitidas aos bancos turcos para, desta forma, retirar a moeda nacional do mercado, conseguir liquidez e estabilizar o valor da lira.

“Com esta medida vão injetar-se no sistema financeiro aproximadamente 10 mil milhões de liras (seis mil milhões de dólares norte-americanos) e três mil milhões de dólares em liquidez”, assinalou a entidade no comunicado difundido através da página oficial na internet.

No domingo, o Presidente da Turquia considerou que a descida da lira turca resulta de “uma conspiração política” contra o país, que vai ripostar procurando “novos mercados e aliados”, numa altura de crise nas relações com os Estados Unidos.

“O objetivo da operação é obter a rendição da Turquia em todos os domínios, das finanças à política. Enfrentamos de novo uma conspiração política secreta. Com a ajuda de Deus, vamos ultrapassar isto”, declarou Recep Tayyip Erdogan, perante apoiantes reunidos em Trébizonde, no Mar Negro.

A lira turca, em dificuldades há vários meses, registou uma queda muito acentuada face ao dólar na sexta-feira, após o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter anunciado na rede social Twitter que vai duplicar as tarifas impostas às importações de aço e de alumínio provenientes da Turquia.

PE (SP/PSP/EO) // MSF

Lusa/Fim

Deixe uma resposta