Receitas da Vodafone Portugal sobem 3,3% no ano fiscal terminado em março para 1.014M€

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

As receitas totais da Vodafone Portugal subiram 3,3% no ano fiscal terminado em março, para 1.014 milhões de euros, face ao período homólogo, e as receitas de serviços avançaram 4,6%, anunciou hoje a operadora.

Em comunicado, a operadora de telecomunicações refere que, “na análise ao exercício fiscal de 2017-2018, as receitas de serviços ascendem a 950 milhões de euros, o que representa um crescimento de 4,6% face ao ano anterior”, e as receitas totais “sobem 3,3%” anualmente, “ultrapassando os mil milhões de euros”.

Estes resultados, “alcançados num ambiente setorial desafiante e em transformação, refletem o posicionamento estratégico da Vodafone Portugal, assente na diferenciação e no crescimento orgânico dos seus negócios”, adianta a operadora.

No quarto trimestre, que encerra o ano fiscal 2017-2018 (teve início a 01 de abril de 2017 e terminou a 31 de março último), a Vodafone Portugal registou “um incremento do principal indicador de negócio, suportado sobretudo pelo forte dinamismo do serviço fixo”, acrescenta a operadora de telecomunicações liderada por Mário Vaz.

No último trimestre fiscal, as receitas de serviços ascenderam a 232 milhões de euros, um aumento de 3,1% face a igual período do ano passado.

“Este desempenho revela o ritmo de crescimento sustentando de um dos mais importantes indicadores de negócio, o que se verifica pelo décimo trimestre consecutivo”, acrescenta a Vodafone Portugal, salientando ainda que no quarto trimestre as receitas totais crescceram 3% para 246 milhões de euros.

“Os resultados espelham, entre outras variáveis, o crescimento das receitas do serviço fixo, sustentado pelo contínuo incremento da base de clientes que contabiliza já mais de 657 mil, representando um aumento de 11,3%” em termos anuais.

“No decurso do último ano fiscal, a Vodafone continuou a expandir a cobertura do seu serviço fixo a todo o país, chegando a mais de 2,7 mil milhões de lares e empresas através de uma rede de fibra de última geração que já contabiliza 32.200 quilómetros”, refere.

No final de março, o número de clientes móveis da operadora ascendia a 4,606 milhões, uma descida de 2,3% em termos homólogos, “mas com um peso acrescido de clientes 4G, que ascendem a 1,739 milhões (+26,4%)”, sendo que no mesmo período, a taxa de penetração de ‘smartphones’ atingia 73,5% da base ativa de clientes móveis

“A Vodafone Portugal encerra o ano fiscal de 2017-2018 completando um crescimento de 10 trimestres consecutivos do principal indicador de negócio. Este reforço da sua posição competitiva é fruto do sucesso da estratégia adotada e da capacidade de a empresa responder positiva e adequadamente aos crescentes desafios do mercado”, refere o presidente executivo da operadora, Mário Vaz, citado em comunicado.

“Ter a atuação centrada nas necessidades e expetativas dos clientes, permanecer na vanguarda da inovação e o enfoque no digital continuarão a ser as diretivas estratégicas da atividade da Vodafone no ano fiscal de 2018-2019, permitindo entregar produtos, serviços e experiências com valor acrescido para os nossos Clientes”, concluiu o presidente executivo.

ALU // SB

Lusa/Fim

Deixe uma resposta