Reforma fiscal de Trump pode cortar investimento direto no resto do Mundo

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Uma agência das Nações Unidas alertou hoje que a reforma fiscal do Presidente Donald Trump poderá levar as multinacionais a repatriarem quase dois biliões de dólares para os Estados Unidos, cortando o investimento estrangeiro no resto do mundo.

A Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e o Desenvolvimento considera que a reforma impulsionada pelo Presidente dos EUA inclui uma regularização fiscal única sobre receitas acumuladas no estrangeiro que pode levar a que os fundos das multinacionais possam regressar aos Estados Unidos.

Esse fluxo de dinheiro repatriado para os EUA poderá ascender a dois biliões de dólares, tendo como consequência uma “redução acentuada” do investimento direto estrangeiro no resto do mundo.

As estimativas da agência da ONU foram calculadas por analogia com outra medida semelhante, o Homeland Investment Act, aprovado há 13 anos, pelo que continuam a ser preliminares.

A UNCTAD informou também hoje que o impacto global do repatriamento de capitais poderá ser limitado porque muito deste dinheiro está em numerário, não em ativos tangíveis. Por isso mesmo, o secretário-geral da UNCTAD, Mukhisa Kituyi, disse que se desconhece, por enquanto, o impacto no investimento nos países em vias de desenvolvimento.

Quase metade de todo o investimento global é nos Estados Unidos ou é detido por multinacionais norte-americanas.

NVI // ANP.

Lusa/Fim

Deixe uma resposta