SAG agrava prejuízos de 2017 para 13,8 milhões de euros

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

Os prejuízos da SAG GEST – Soluções Automóvel Globais em 2017 agravaram-se para 13,8 milhões de euros, face aos 9,8 milhões de euros anteriormente divulgados, revela um comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“O Resultado Líquido Consolidado atribuível à SAG Gest foi, consequentemente, negativo em 13,8 milhões euros, valor que corresponde a um agravamento, não apenas em relação a 2016, mas também relativamente ao desempenho no primeiro semestre do ano de 2017”, afirma a empresa num comunicado divulgado na noite de segunda-feira, e no qual recorda o prejuízo consolidado de 1,2 milhões que teve em 2016.

A empresa, que importa as marcas Audi, Skoda e Volkswagen, anunciou a 06 de março, também em comunicado à CMVM, um agravamento em 2017 dos seus prejuízos para 9,8 milhões de euros, face ao ano anterior, mas a certificação de contas levou a um agravamento desse prejuízo, tal como revela o relatório de prestação de contas consolidadas.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado em 2017 foi de 2,7 milhões de euros, menos 85,2% (15,5 milhões de euros) do que no mesmo período do ano anterior, uma descida que a empresa diz decorrer “essencialmente da deterioração das condições do negócio e da redução na atividade”.

“O resultado líquido consolidado atribuível à SAG Gest foi, consequentemente, negativo”, afirma a empresa.

O volume de negócios consolidado da SAG GEST de 2017 foi 619,7 milhões de euros, menos cerca de 2,2% face aos 633,4 milhões de euros de 2016.

A área da distribuição automóvel registou uma redução de 2,7% da contribuição para o volume de vendas consolidado (que exclui transações com outras entidades incluídas no perímetro de consolidação da SAG Gest, nomeadamente as vendas da subsidiária SIVA aos concessionários da Soauto), tendo praticamente mantido o seu peso no volume de negócios consolidado, de 78,6% em 2016 para 78,2% em 2017).

A posição financeira consolidada da SAG Gest no final do ano de 2017 agravou em relação à situação em 31 de dezembro de 2016, especialmente ao nível da dívida líquida consolidada que aumentou cerca de 29,7 milhões de euros, de 95,5 milhões de euros para 125,2 milhões de euros.

“Este aumento resulta essencialmente das necessidades acrescidas de fundo de maneio que se verificaram, e que levaram a que a dívida líquida consolidada correspondesse a cerca de 22,6% do valor do ativo consolidado em 31 de dezembro de 2017 (18,6% em 31 de dezembro de 2016)”, conclui naquele comunicado.

VP (DF) // ZO

Lusa/Fim

Deixe uma resposta