Sentimento de Mercado (09/11) – Apple sustenta ganhos

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Se as dúvidas já eram significativas quanto à possibilidade da aprovação do pacote de reforma fiscal proposto por Trump e pelo partido Republicano, nomeadamente devido aos cortes nos benefícios que vão afectar sectores importantes, assim como por causa do conhecido recentemente deficit acima do previsto que as alterações vão causar, então ontem o cenário ficou um pouco mais sombrio para o sucesso da operação. Isto porque nas duas votações para a eleição dos governadores da Virginia e de New Jersey que ocorreram terça-feira, o partido Democrata ganhou ambas, ficando a ideia de que os candidatos Republicanos foram prejudicados por causa da reduzida popularidade do Presidente, facto que colocou os membros do partido em modo de cautela, ou seja, poderá existir uma tendência para não aprovar medidas fiscais impopulares nos seus Estados e/ou sugerir outras que lhes favoreçam politicamente, até porque passado um ano desde a eleição, o certo é que no final de contas nenhuma das principais medidas prometidas por Trump conseguiu passar pelo Congresso, apesar do partido que o apoiou controlar tanto o Senado, bem como a Casa dos Representantes, um claro sinal da forte divisão que o Presidente provocou dentro do partido, e sendo assim as probabilidades de aprovar a lei mais importante do seu mandato, passaram a ser reduzidas no enquadramento actual da proposta.
Este facto levou a que o sector financeiro, já a braços com receios sobre a rentabilidade do sector devido à redução do spread da curva da taxa de juro do tesouro norte-americano, tivesse sido ontem o mais afectado com o pessimismo, averbando o quarto dia consecutivo de perdas, um desfecho normal tendo em conta que o sector foi o mais beneficiado com a eleição de Trump e as suas promessas de desregulação e redução de impostos. Com um recuo de -0,6% as financeiras tiveram o pior desempenho do dia no S&P500, contudo em contra-ciclo esteve a empresa mais valiosa do mundo, a Apple, que desde ontem quebrou a barreira dos $900 biliões, levando consigo um optimismo que permitiu a Wall Street fugir ao vermelho e com o Nasdaq a liderar os ganhos após uma valorização de 0,32%. No Forex a sessão foi tranquila com destaque para a queda de -0.4% da libra inglesa para os $1.3117, devido a alguma instabilidade no Governo da primeira ministra Theresa May.

Deixe uma resposta