Sentimento de Mercado (08/12) – Tecnológicas voltam ao radar dos Bulls

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Depois de alguns dias em que o sector tecnológico esteve como prioridade para a realização de mais valias e redução de risco, ontem esse movimento aparentemente foi suspenso ou terminado por agora, visto que o sector esteve de novo em destaque na pressão compradora, com os “nomes” sonantes a darem o mote para o Nasdaq obter a melhor performance do dia em Wall Street com uma valorização de 0,54%, numa sessão em que apesar de um ou outro soluço os bulls aguentaram as cargas dos Bears permitindo a que nove dos onze sectores que compõem o S&P500 tenham terminado com ganhos. Na Europa o Stoxx 600 ficou praticamente inalterado e o Footsie cedeu -0.4% fazendo o caminho inverso da moeda inglesa, com a libra a ganhar 0,7% para os $1.3481 apesar do sucesso da negociações com vista ao Brexit continuar uma incógnita.
Na Ásia o Nikkei recuperou uma boa parte das perdas do dia anterior avançando na quinta-feira 1,4%, contudo beneficiou igualmente da queda de -0,7% do Yen para os 113.07 por dólar. O Euro voltou a recuar, cedendo -0,2% versus a moeda norte-americana para os $1.1776, U.S dólar que esteve mais forte que um cabaz de outras moedas principais, valorizando para o nível mais elevado das últimas três semanas, após adicionar 0,3%. Os non-farm payrolls de hoje serão de importância elevada, não apenas porque podem ser um tranquilizador ou causar de ansiedade dos Bulls, mas porque com o mercado de trabalho quase em pleno emprego a média de criação de novos postos de trabalho tem descido, o que coloca alguma dificuldade extra para que ocorra uma surpresa positiva, sendo que a questão da falta do aumento dos rendimentos é algo já de si perturbador para a análise do FED, com vista a decisão sobre o aumento dos juros, dado que esta componente importante não está a influenciar a inflação como seria de espera para um crescimento perto dos 3%.
Destaque pela positiva, embora que momentânea, a aprovação pelo Congresso norte-americano, de uma extensão de duas semanas para que se chegue a um consenso quanto à aprovação do orçamento do governo, estando agora no dia 22 de Dezembro a data limite após a qual caso não exista acordo, o governo entra em shutdown.

______________________________________________________________________________

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta