Sentimento de Mercado (26/10) – Trump e earnings condicionam Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Ontem destaquei o facto relativo a um possível volte-face nas pretensões de Trump em aprovar a reforma fiscal, nomeadamente devido a críticas ferozes por parte de dois Senadores Republicanos. Incerteza essa que ontem condicionou Wall Street por colocar em causa o optimismo que se tinha criado com a aprovação do orçamento pelo Senado. Optimismo que ajudou a suportar os ganhos interessantes da sessão de sexta-feira. Esse tópico, em conjunto com alguns resultados empresariais menos bem conseguidos, foram os principais suportes das vendas, que no final do dia empurraram Wall Street para a “maior” desvalorização de mês e meio. Ainda assim, é importante colocar em perspectiva, foi um recuo na ordem dos -0.5%, que embora ligeiro não deixa de ser “anormal” para este Bull market, muito resiliente. Na Europa, o Stoxx 600 também não fugiu ao vermelho e desvalorizou -0.57%, igualmente devido à qualidade mediana dos resultados apresentados por algumas empresas. Em suma, foi um dia “menos” nesta earnings season. 

No Forex o dia foi mais animado, a começar pela subida expressiva, de 0,9% da Libra inglesa para os $1.3249. Isto após o PIB do Reino Unido ter saído nos 0.4%, acima das previsões e o valor mais elevado deste ano, o que reforça a probabilidade de o Banco de Inglaterra subir a sua taxa directora já na próxima semana. Até porque a inflação está em máximos de 5 anos. Em sentido inverso esteve o Rand, que afundou 2,2% para o mínimo de 10 meses nos 14.061 por U.S dólar após o ministro das finanças sul-africano ter dito que o país vai aumentar o seu stock de dívida com vista a suportar o défice orçamental. O Euro avançou 0,3% para os $1.1801, na véspera da importante reunião do BCE, de onde se espera que saia uma redução do montante mensal das compras dentro do programa de estímulos assim como indicações sobre o timing do próximo movimento similar. Destaco a notícia que deu conta dos trabalhos preparatórios iniciados por parte da União Europeia no sentido de acautelar o falhanço do acordo com o Reino Unido relativo ao Brexit, que deverá ser alcançado até à cimeira de Dezembro. Ou seja, a preparação para o “hard Brexit”.
 

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta