Sentimento de Mercado – Águas paradas em Wall Street

Agência Lusa

Agência Lusa

, Actualidade

Depois de uma semana com alguma volatilidade em Wall Street no intraday, a sessão de sexta-feira não foi excepção e apesar do final em território misto o movimento durante o dia variou entre o positivo e negativo sem grande convicção, o S&P500 e Dow Jones registaram uma subida marginal de 0,03% enquanto que o tecnológico Nasdaq recuou -0.05%. Do lado dos Bears o principal catalisador de pessimismo foi uma notícia da Bloomberg que referiu a intenção de Trump em prosseguir com a imposição de tarifas alfandegárias a $200 biliões de produtos importados pelos EUA da China, não obstante a intenção de ambas as partes numa nova ronda negocial com vista a resolver o diferendo comercial que ameaça afectar as duas maiores economias mundiais. Conflito esse que se poderá estender de forma mais acentuada à relação comercial dos EUA com a União Europeia e Japão.

A pressionar nas compras esteve o sector dos semicondutores que adicionou perto de 1% em boa parte devido à valorização de 1.88% nos títulos da NVIDIA depois de uma casa de investimento ter aumento o preço alvo das acções da fabricante de GPU´s, argumentando que o domíno da mesma no sector da inteligência artificial cria um potencial de crescimento adicional. Financeiras e energéticas lideraram nos ganhos do S&P500, as primeiras a beneficiar da subida da taxa de juro da dívida soberana a 10 anos dos EUA que atingiu de novo os 3%, apesar dos dados económicos indicarem um refrear da pressão inflacionista. Já as energéticas estiveram em linha com a subida de 0,5% no preço do WTI crude para os $68,97 por barril, crude que poderá vir a atingir os $80 por barril caso os fundamentais de mercado se mantenham, isto porque desde que Trump indicou que iria rescindir o acordo com o Irão alcançado por Obama, repondo as sanções económicas, as exportações de crude do Irão, um dos principais produtores da OPEP, caíram cerca de um terço para menos de 2 milhões de barris por dia, redução que não está a ser compensada pela Arábia Saudita e Rússia, apesar destes terem aumentado as suas produções para perto de máximos históricos, deixando pouca margem para o início de Inverno, que a ser rigoroso, poderá inflacionar substancialmente o preço do activo.

No Forex a subida dos juros das treasury bonds ajudou à valorização de 0,3% no valor do U.S dólar depois de três sessões em queda, a força da moeda norte-americana empurrou as outras moedas de topo para o vermelho, o Euro e a Libra inglesa cederam -0.5% e -0.3% respectivamente, enquanto que o Yen apenas deslizou -0.1% para os 112.01.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta