Sentimento de Mercado – O céu é o limite?

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Mais uma sessão e mais um dia de recordes em Wall Street. S&P500 e Nasdaq subiram a fasquia enquanto que o industrial Dow Jones se ficou por uma queda marginal de -0.1%, devido à má performance da Johnson&Johnson e da Procter&Gamble, a primeira devido a uma perda associada à introdução da lei da reforma fiscal, enquanto que o maior fabricante mundial de produtos de consumo assustou os investidores quando anunciou, nos seus resultados, uma queda na margem bruta. Mas de resto o dia foi mais do mesmo das sessões recentes, boa conjectura económica mundial à qual é agora adicionada bons resultados empresariais. É certo que ainda apenas cerca de 14% das empresas do S&P500 é que divulgaram os seus resultados, mas dessas mais de 76% bateram as previsões, o que deixa antever, tal como referi ontem, um valor final de crescimento dos lucros acima dos 12,4% previstos no inicio da temporada.
Mas não obstante esse cenário de “tempestade perfeita” em que se encontram os mercados accionistas, visto que os indices um pouco por todo o mundo estão em subida recorrente, o certo também é que a “corrida” dos Bulls vai longa, o índice principal, o S&P500 regista agora 396 sessões consecutivas de trading sem uma desvalorização de 5% face aos máximos e indo mais longe, em 468 dias, só num deles o índice transaccionou abaixo desse limite de 5%. É uma série sem precedente, e a todos os níveis impressionante, mais ainda desde meados de Agosto de 2017, data após a qual só em apenas três semanas é que o S&P500 viu o vermelho da desvalorização, encetando uma subida que está agora a cerca de 7% de igualar a da última “perna” da bolha das dot.com. Outro ponto interessante foi a sondagem da Universidade de Michigan, que coloca em máximos desde 2003 a percentagem de norte-americanos que acredita numa subida do preço das acções durante este ano. Cautela poderá agora ser para os mais conservadores um factor a ter em conta nas decisões de negócios Long, de médio longo prazo.
No Forex também nada de novo, U.S dólar a descer, Euro a subir e desta feita o Yen também a subir, 0,5% para o máximo de quase 5 meses, para os 110.33.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta