Sentimento de mercado – Banca puxa por Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Esta época de resultados começou da melhor maneira para os Bulls, sedentos de notícias que os possam ajudar a empurrar os índices norte-americanos para novos máximos históricos. A bancaesteve no foco das atenções, sector que os investidores aguardavam com bastante interesse, devido à redução dos juros por parte do FED, mas também pela perspectiva de um arrefecimento do sentimento dos consumidores e dos empresários, as bases da economia norte-americana. JPMorgan Chase & Co (JPM.N), Citigroup Inc (C.N), Goldman Sachs Group Inc (GS.N) e Wells Fargo & Co divulgaram os seus resultados e não obstante alguns percalços, como a queda nos lucros por parte do Wells Fargo, o certo é que o sector deu o mote para uma sessão de optimismo em Wall Street, embora as variações não tenham sido extraordinárias.
Com efeito, entre os 0,89% de ganho no Dow Jones e os 1,24% de valorização no Nasdaq o dia foi muito tranquilo, sem grandes oscilações intraday, mas onde nem tudo foi positivo, com os habituais sectores refúgio a sentirem o peso da pressão vendedora, devido à menor apetência por segurança, o que empurrou as utilities e as retalhistas de produtos essenciais para deslizes ligeiros. Saúde e serviços de comunicações, este último onde estão englobadas algumas das principais tecnológicas, foram os grupos que mais subiram ontem, ao amealharem mais de 1,6% cada.
No mercado cambial o dia também foi algo calmo com variações pouco significativas e com destaque apenas para a queda de -0.4% do Yen para os 108.86, também a sofrer do optimismo no mercado accionista.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta