Sentimento de mercado – Bulls voltam a fraquejar no assalto a novos máximos em Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Não foi certamente o fim da batalha por um patamar nunca antes alcançado nos índices norte-americanos, contudo ontem os bulls não aproveitaram mais um round dessa luta, muito por culpa da ausência do que tenho referido como essencial para que tal ocorra, um catalisador de reconhecida importância, porque para atingir esta zona de confluência de forças algumas notícias de menor relevo podem ter sido suficientes, como por exemplo a hipótese de um acordo comercial entre os EUA e a China estar iminente, dizia-se mesmo para o final deste mês, com uma reunião entre os chefes de Estado de ambos os países no resort de Trump em Mar-a-Lago. Possibilidade que ontem foi praticamente reduzida a cinzas quando Trump admitiu que um acordo pode até não ser alcançado e depois de uma notícia da CNBC dar conta da intenção da China em acertar todos os pormenores antes da reunião entre ambos, ao contrário da pretensão do presidente norte-americano que quer finalizar as negociações pessoalmente com Xi Jinping.
Espera-se agora que um encontro possa ter lugar quanto muito em Abril, contudo e apesar do adiamento, os investidores dão para já o beneficio da dúvida, sendo que uma boa parte dos analistas acreditam que o mercado tem incorporado que um acordo vai ser alcançado, mesmo que mais tarde, o que coloca um risco de desilusão acentuado, caso tal não venha a acontecer. Ao nível económico os dados foram pouco animadores, da China menor produção industrial do que esperado em Fevereiro, enquanto que nos EUA, tanto as jobless weekly claims como as vendas de casas novas saíram bem pior que o antecipado, reforçando o sentimento de conflitualidade quanto ao estado da maior economia mundial devido aos dados de qualidade inconstante que têm saído, não obstante a tendência ser para o sentido negativo.
Destaque para a valorização dos títulos da Apple que ontem sustentaram os ganhos residuais do Dow Jones, não foram contudo suficientes para impedir uma queda de -0.3% no Nasdaq, condicionado pela desvalorização dos títulos do Facebook, após um dia em que a plataforma de social media esteve em baixo em quase todo o mundo. No Forex a sessão foi bem mais mexida e interessante com o U.S dólar a ganhar 0,3% quebrando uma série semanal de perdas, o que empurrou o Euro e a Libra inglesa para deslizes de -0.2% e -0.4% respectivamente, no dia em que o Parlamento do Reino Unido aprovou um pedido de extensão para o Brexit, a ser efectuado por Theresa May junto da U.E.
Hoje destaque para o índice do sentimento do consumidor produzido pela Universidade de Michigan e que é encarado como um indicador importante para os investidores.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta