Sentimento de Mercado – Bulls voltam à carga

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Depois de uma semana para esquecer por parte dos Bulls, eis que estes renasceram das quase cinzas que alguns já lhes vaticinavam e tomaram conta de Wall Street para a melhor sessão em cerca de dois anos e meio. A retórica utilizada pelo secretário de estado do tesouro norte-americano, ao colocar àgua na fervura dos receios sobre uma guerra comercial, foi um dos principais fundamentos para o dia todo ele em território francamente positivo. O facto dos principais indices terem atingido de novo a zona de correcção e tecnicamente a linha de suporte de longo prazo no S&P500, a média móvel dos 200 dias, completaram o cenário aproveitado pelos Bulls para sacudir a pressão. Se o optimismo é para ficar só os próximos dias o dirão, isto porque apesar da energia demonstrada ontem pela pressão compradora o certo é que para já o movimento único de subida a qualquer “preço” deixou o mercado no final de Janeiro.
Do ponto de vista técnico recordo que após os máximos históricos de Janeiro o S&P500 efectuou duas semanas de fortes quedas, que foram seguidas por uma semana de forte subida que não chegou sequer a limpar a perda da semana imediatamente anterior. Passadas quatro semanas e o principal índice mundial estava de novo a corrigir com intensidade, sendo igualmente certo que não chegou a quebrar os mínimos do retracement de Fevereiro. Quero com isto dizer que ambos os cenários estão em aberto e a volatilidade deverá ser a única quase garantia em cima da mesa, isto a poucos dias de começar mais uma earning season e dos non-farm payrolls relativos a Março.
No Forex o U.S Dólar cedeu -0.4% contra um cabaz de outras moedas principais, uma fraqueza para a qual terá contribuído o facto desta semana o Tesouro dos EUA ter prevista a venda de $294 biliões de dívida soberana, a maior tranche de sempre em tão curto espaço de tempo. Recuo que permitiu ao Euro um boa valorização de 0,8% face à moeda norte-americana para os $1.245, enquanto que a Libra inglesa obteve uma performance muito semelhante com um ganho de 0,7% para os $1.423. Já o Yen não foi além de uma queda de -0.7% com a pressão vendedora dos que venderam activos refúgio a ter um papel fundamental para o registo final.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta