Sentimento de Mercado – China acalma investidores

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Diz o ditado que há uma primeira vez para tudo, ontem foi a vez do Presidente chinês acalmar os receios dos investidores quanto a uma guerra comercial ao anunciar não só menores tarifas comerciais, mas igualmente uma abertura daquela que é a segunda maior economia do mundo. Um paradigma completamente diferente daquele que dominou nas últimas décadas, quando os EUA foram o bastião do comércio livre da globalização e a China o seu inverso. Mas os tempos são outros e com a decisão de transformar a economia chinesa de fábrica fotocopiadora do mundo para exportador de tecnologia era expectável que assim fosse. Os sectores mais afectados recentemente com os efeitos nefastos de uma guerra comercial, como os materiais e as tecnológicas, foram os que melhor comportamento tiveram ontem no S&P500, ultrapassados apenas pelas energéticas que valorizaram mais de 3% devido à subida de 2,1% no preço do WTI, que acabou a valer $63.34 por barril.
Nos índices o Nasdaq liderou nas subidas a beneficiar do optimismo gerado nos títulos do Facebook em resposta à prestação sem incidentes do seu CEO no primeiro dia de testemunho no Congresso norte-americano. O Russell 2000, denominado como índice das small caps, também obteve uma boa prestação com um avanço de quase 2%, indicador de que a força compradora foi transversal a todo o mercado e não apenas uma puxada nas Blue chips. No Forex destaque para o segundo dia de forte desvalorização do Rublo ainda em resultado das sanções impostas pelos EUA a vários bilionários ligados a Putin, ontem a moeda russa cedeu cerca de -5% no auge das vendas com o USD/RUB a atingir os 63.9. De resto o dia foi de fraqueza para a moeda norte-americana, que cedeu -0.2% face a um cabaz de outras moedas principais.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta