Sentimento de mercado – Cisco e Walmart afugentam espíritos do pessimismo

Agência Lusa

Agência Lusa

, Actualidade

Sem novidades na novela da guerra comercial e ainda a beneficiar do aparente apaziguamento da retórica causado pela possibilidade de uma adiamento de tarifas impostas pelos EUA à União Europeia, Wall Street esteve ontem sobre o efeito do optimismo derivado dos bons resultados apresentados pela Cisco e pela Walmart, que apesar de não serem os ícones dos seus sectores, como há cerca de 15 anos, o certo é que ainda assim os seus nomes têm peso suficiente para serem aproveitados pelos Bulls no ataque ao mercado, numa altura em que só mesmo as notícias muito negativas têm impacto no sentimento, enquanto que qualquer notícia mais optimista dá aso a uma pressão compradora que mantém os índices norte-americanos perto de máximos históricos ou mesmo a registar novos.
A subida superior a 6,60% nos títulos da Cisco contagiaram o sector tecnológico, sendo mesmo antídoto mais que suficiente para o vermelho que se fez sentir no segmento dos semicondutores, onde o SOXX cedeu -1.58%, depois da ordem executiva de Trump que declarou emergência nacional para protecção da tecnologia norte-americana, colocando a gigante chinesa Huawei, a terceira maior compradora de semicondutores do mundo e curiosamente a maior concorrente da Cisco, na lista negra das empresas que terão fortes restrições em funcionar com empresas norte-americanas, o que castigou fortemente muitos fornecedores da Huawei, como a Xilinx e a Qualcomm, que só poderão vender produtos à empresa chinesa com autorização do governo dos EUA. Ainda assim o Nasdaq conseguiu averbar o melhor registo do dia com um ganho de 0,96%, enquanto que o Dow Jones se ficou pelos 0,84%.
Do lado económico os dados foram ligeiramente bullish, com as vendas de casas nos EUA a melhorarem em Abril, mas menos do que se esperava, enquanto que os pedidos de subsidio ficaram abaixo das previsões, reforçando a ideia de que o mercado laboral norte-americano continua robusto. Força que deu alento ao U.S dólar para uma valorização de 0,3% contra um cabaz de outras moedas principais, o que empurrou o Euro e o Yen para deslizes de -0,2%, terminando as moedas nos $1.1174 e 109.83 respectivamente. A libra inglesa continua o trajecto descendente que tem sido quase constante nas últimas duas semanas, muito por causa da possibilidade do partido pró Brexit vir a ganhar as eleições para o Parlamento Europeu, o que empurrou a libra para uma queda de -0.4%, nos $1.2795, que é o valor mais baixo em três meses.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta