Sentimento de mercado – Duo dinamico Trump-Johnson marca pontos perto do apito final

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Bom, já quase no cair do pano de 2019 e muito perto do limite para a entrada de novas tarifas sobre $160 biliões de produtos importados da China, por parte dos EUA, as duas partes aparentemente chegaram a acordo para um entendimento de “primeira fase”. E digo aparentemente porque com Trump nunca se sabe e os detalhes ainda não estão totalmente esclarecidos, mas segundo fontes internas do processo a China irá adquirir $50 biliões de produtos agrícolas aos produtores norte-americanos em 2020, e por sua vez os EUA suspendem a entrada das novas taxas que deveriam entrar em vigor no Domingo, para além de reduzirem em 50% as tarifas existentes sobre cerca de $360 biliões de importações do país asiático. Um acordo parcial que não sendo nada de extraordinário, especialmente para o lado de Trump, o certo é que só o facto do conflito não se ir agravar já deverá proporcionar o optimismo necessário para os Bulls puxarem pelo mercado nos próximos dias, a menos que se concretize a teoria do “vender nas notícias”, mas a quadra natalícia é mais propicia a subidas do que correcções, veremos em breve as cenas do último capitulo do ano.
Igualmente positivo para o desanuviar das incertezas que pairavam sobre as praças europeias foi a vitória do partido Conservador de Boris Johnson nas eleições de quinta-feira. O primeiro-ministro do Reino Unido ganha assim espaço para efectivar o Brexit até dia 31 de Janeiro, uma vez que conseguiu uma maioria muito confortável, tendo sido mesmo o melhor resultado do partido desde que Margaret Thatcher venceu as eleições de 1980. E se as consequências económicas e sociais de uma saída do Reino Unido da União Europeia ainda são uma incógnita, a clarificação da situação foi vista com bons olhos por parte dos investidores que puxaram pelo valor da Libra inglesa, permitindo uma valorização da moeda de aproximadamente 2% contra o Euro e contra o U.S dólar, um movimento que no entanto poderá vergar hoje o Footsie a um dia de vermelho, visto que geralmente os dois activos andam em contra-ciclo.

Destaque para o facto do índice “MSCI all-country world index”, que engloba as 49 principais praças mundiais ter atingido ontem um novo máximo histórico, após uma valorização de 20% só este ano e um ganho de quase $10 triliões em valor desde os mínimos de Dezembro do ano passado, uma correria (desenfreada?), que a continuar poderá levar as avaliações para território incomportável, despolentando assim os receios existentes sobre o usual esticão ascendente que costuma ocorrer antes do rebentamento de uma bolha de avaliação.


A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta