Sentimento de Mercado – “Paz” comercial puxa por Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Se nos últimos meses Wall Street tem cedido terreno devido à instabilidade da guerra comercial, noutros dias a perspectiva de alívio dessa situação tem levado a uma pressão compradora derivada do optimismo dos investidores, ontem mais do que apenas optimismo foi um amenizar real da situação com o acordo anunciado entre os EUA e o México, que estava previsto para a semana passada e que segundo Trump dará lugar ao acordo comercial EUA-México, deixando de vez a designação Nafta, devido à sua má conotação por ter sido ruinoso para os EUA, segundo as palavras do presidente norte-americano. Para ser implementado falta a permissão do Congresso ao que se deverá seguir o acordo com o Canadá, cujas negociações ainda não começaram, para que seja redesenhada a relação comercial entre os EUA e os seus dois vizinhos, acabando assim com um tratado que vigorou cerca de 24 anos. Sem surpresa as grandes exportadoras foram as mais beneficiadas pela notícia, Boeing e Caterpillar empurraram o Dow Jones para a maior subida do dia, com destaque igualmente para as valorizações dos fabricantes de automóveis.

O acordo teve implicações também no Forex com o Peso Mexicano a subir mais de 1% para os 18.66, enquanto que o U.S dólar cedeu de novo, desta feita -0.4% ainda por causa dos comentários dovish do presidente do FED, que foram uma fonte de alento para os Bulls dos mercados europeus. O Stoxx 600 avançou 0,52%, um movimento mais fraco que o DAX que adicionou 1,01%, muito por causa das empresas do Footsie, índice que valorizou apenas 0,19%. A lira turca desvalorizou terminando nos 6,1548 num movimento contrário ao das moedas dos emergentes que adicionaram cerca de 0,5%. Apesar da fraqueza do U.S dólar nem o Euro ou o Yen foram capazes de melhor que uma subida ligeira de 0,1% para os $1.1677 e 111.086 respectivamente, subida que permitiu à moeda única quebrar a linha superior do canal descendente que referi ontem. Linha essa que poderá ser testada num futuro próximo como zona de suporte.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta