Sentimento de Mercado – Política condiciona Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

O sentimento à entrada para esta semana de trading era desde logo desfavorável aos Bulls, um pessimismo que começou mesmo antes do fim de semana, com a notícia de sexta-feira à noite do Wall Street Journal que indicava a anulação por parte da China das conversações programadas para esta semana com os EUA, com vista à resolução do conflito comercial, isto enquanto, segundo o país asiático, não for colocada de lado a possibilidade de mais tarifas alfandegárias aos produtos importados da China, pelos EUA, ou a fase 3 segundo Trump, que basicamente abrangerá toda a exportação da segunda maior economia do mundo para a primeira.

Notícia que removeu qualquer esperança de que a entrada em vigor ontem das tarifas alfandegárias a $200 biliões de produtos chineses e em retaliação, $60 biliões de produtos norte-americanos, fosse uma realidade de prazo curto, aliás já foram muitos e bons, como o o-fundador da Alibaba que indicou esperar um conflito de décadas entre os dois países, enquanto que quase todas as casas de investimento e analistas de renome não têm dúvidas de que ambos os países irão perder com o litígio, a J.P Morgan por exemplo já alertou que o mesmo poderá agravar os problemas do sector financeiro chinês levando a uma onda de defaults que terá consequências imprevisíveis, até porque era previsto que a China contribuísse com 35% do crescimento económico mundial em 2018 e 2019, sendo pois o principal player.

O outro facto de pessimismo foi a notícia de que o Deputy Attorney General, que está encarregue pela investigação que atinge indirectamente Trump, poderia estar prestes a demitir-se ou a ser despedido, o que levou a um movimento de procura por protecção, visto que tal teria uma consequência muito provavelmente negativa na votação que os Republicanos vão atingir nas importantíssimas eleições para o Senado e para a House of Representatives, que recordo são dominadas até agora pelos Republicanos, contudo uma sondagem da NBC-Wall Street Journal revelou que os Democratas têm uma vantagem de 12% para o acto eleitoral que se avizinha, o que a manter-se poderá significar ganhar o controlo de ambos, ou seja do Congresso, o que resultaria num quase imediato congelamento das políticas de Trump, causando igualmente um impasse governativo difícil de resolver, devido ao extremismo de posições.

No final do dia os índices norte-americanos reverteram o movimento de sexta-feira e apenas o Nasdaq conseguiu fugir ao vermelho com uma subida marginal, em vésperas do início da reunião do FED, que é esperada terminar com mais uma subida dos juros, facto que ajudou o U.S dólar a ganhar 0,2% contra um cabaz de outras moedas principais, numa sessão em que a lira turca valorizou 2,5% para os 6.1388, devido à perspectiva de que o pastor norte-americano preso na Turquia e causa do conflito entre os EUA e a Turquia, possa ser libertado em breve.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta