Sentimento de Mercado – Ruído condiciona Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

A sessão de sexta-feira foi um bom resumo do que ocorreu nos restantes dias da semana, com o sentimento de incerteza a dominar e a ser condicionado por diversos motivos extra earning season. Subida dos juros das obrigações soberanas dos EUA, posição mais hawkish por parte dos membros do board da FED retratada nas minutas da última reunião do banco central norte-americano, incerteza sobre as consequências negativas para as empresas dos EUA sobre a guerra comercial com a China, sendo que cerca de 50% da facturação das que constituem o S&P500 vem do exterior, receios sobre um abrandamento da economia chinesa devido ao impacto de tarifas alfandegárias a $200 biliões de produtos exportados para a maior economia do mundo, e o ruído criado pelo orçamento do governo italiano que já foi alvo de criticas da U.E e que tem mexido com as yields da dívida local e de alguns países europeus.

Na prática a earnings season foi o catalisador que menos condicionou o sentimento, se bem que com alguns poços de influência como a forte valorização na sexta-feira dos títulos da Procter & Gamble após ter batidos as expectativas nos seus resultados do primeiro trimestre, o que impulsionou o Dow Jones para a única subida do dia entre os principais índices, não obstante a desvalorização dos títulos da Honeywell após ter avisado sobre a influência negativa das novas tarifas alfandegárias nas margens de lucro, arrastando consigo os grandes exportadores como a Boeing e Caterpillar. O bom desempenho da Procter & Gamble, que registou a maior subida em 10 anos, foi igualmente decisivo para a performance do sector das retalhistas de produtos essenciais no S&P500, que obteve a maior valorização do adia, tendo sido igualmente notória a procura por activos refúgio com os sectores do imobiliário e das utilities a conseguirem ganhos de 1% e 1,58% respectivamente.

Procura por segurança que não foi notada nos restantes activos de eleição, com o Yen a ceder -0.3% para os 112.57, enquanto que o U.S dólar recuou -0.1%, movimento igualado pelo Ouro para os $1,229. Destaque para o ganho no valor da Libra inglesa com a notícia de que a Primeira Ministra Theresa May está disposta a ceder na questão da fronteira Irlandesa, com vista a facilitar o acordo do Brexit, deixando por tempo incerto o Reino Unido ligado às regras alfandegárias da U.E.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta