Sentimento de Mercado – A semana da volatilidade

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade
Depois de duas sessões em que o Dow Jones perdeu mais de 1,000 pontos, o índice industrial terminou a semana com uma variação superior a 1,000 pontos, acabando por amealhar 330 pontos, tal como já tinha ocorrido uns dias antes. Apesar disso foi o menor ganho em Wall Street, que foi liderada em alta pelo S&P500 com uma valorização de 1,49%. De realçar a importância dos últimos 5 dias, que resultaram na pior performance do S&P500 em dois anos, marcando assim uma disrupção com um largo período de tempo de uma subida quase ininterrupta. Um pouco mais de -5%, foi quanto cederam o Dow Jones e o S&P500, ainda assim recuperando para valores positivos no ano. Dos máximos de finais de Janeiro a correcção foi real, embora nada de muito significativa ou igual em termos de sectores, as energéticas foram as que mais recuaram, quase -15% de perdas em poucos dias, seguido do sector da saúde que deslizou um pouco mais de 10%.
Do outro lado da moeda destaque para os -5% de desvalorização doas utilities, como o melhor registo dos onze grupos que compõem o principal índice norte-americano. Este é um dado importante e interessante, pois as utilities são o sector mais ligado aos activos refúgio dentro de períodos em que se perspectiva tempos de correcção e o facto de ser igualmente o mais sensível a taxas de juro mais elevadas, indicia que a procura por protecção foi realmente significativa, porque as quedas no mercado derivaram das perspectivas que saíram da ultima reunião do FED acerca de juros mais elevados do que anteriormente previsto, neste caso quatro subidas em vez das três programadas, ou seja o receio de tempos com maior risco suplantou o impacto negativo que os juros irão ter no sector.
Para além do já referido a semana passadamarcou igualmente o fim de muitos meses de volatilidade muito baixa, mesmo quando o mercado realizou consolidações as variações foram sempre bastante reduzidas, daí as mais de 400 sessões sem uma correcção superior a 5% entre as quais muitas em que o S&P500 não cedeu mais de -0,5%. Curiosamente no Forex o caminho tem sido bastante diferente, com variações finais quase marginais, na sexta-feira com excepção da libra inglesa, que perdeu -0.7% para os mínimos de três semanas nos $1.3819. À entrada desta semana o sentimento privilegiado continua a ser o da cautela com posições alavancadas, pelo menos até a volatilidade acalmar.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta