Sentimento de mercado – Shutdown e FED condicionam em dia movimentado

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Tal como referi possível na análise anterior os investidores aguardaram mesmo pela sessão de ontem para se pronunciarem sobre as implicações das decisões do FED no U.S dólar, bem como também no mercado accionista, o que levou a que contrariamente ao que tinha estimado a sessão de quinta-feira acabou mesmo por ser bastante mais movimentada que a de quarta-feira, chegou mesmo à segunda posição dos dias com maior número de negócios este ano quebrando a barreira das 12 biliões de transacções. Não obstante a sessão ter iniciado com perdas ligeiras e pouca turbulência, a calma foi apenas aparente e após a primeira hora de negociação Wall Street encetou um movimento descente quase interrupto que durou até ao final da hora de almoço. desvalorização que foi reforçada com a declaração de Paul Ryan sobre a recusa do Presidente Trump em assinar a proposta de orçamento que tinha sido aprovada pelo Senado norte-americano, com vista a impedir o shutdown parcial previsto para hoje, isto porque a proposta não incluía qualquer financiamento para o muro na fronteira com o México.
O Dow Jones foi o que registou a maior desvalorização com apenas um dos seus componentes, a Johnson & Johnson, a conseguir escapar ao vermelho devido a um movimento de rebound, o Nasdaq que no intraday chegou a estar em terreno de Bear Market vergou com as quedas superiores a -2.2% da Apple e Amazon, enquanto que no S&P500 apenas as utilities, activo refúgio de excelência conseguiu valorizar, ainda que tenha sido um ganho marginal de 0,27%. Procura por segurança que teve o seu expoente máximo no Forex, nomeadamente no Yen, que adicionou 1,1% ao seu valor para os 111.26, naquela que foi a maior valorização do último ano. Euro e Libra inglesa também beneficiaram da fraqueza da moeda norte-americana e “aproveitaram” para subir 0.7% e 0.4% para os $1.1458 e $1.2662 respectivamente, num dia em que o U.S recuou -0.7%.
Nas commodities, o Ouro, activo refúgio que tem andado desavindo com os investidores, foi no entanto ontem bastante pretendido conseguindo registar um ganho de 1,4% para o máximo de meio ano nos $1,260 por onça. Já o crude recuou de novo para o patamar dos $46 por barril após uma perda de -4,2%, com os fundamentais a manterem-se inalterados, excesso de produção e redução da procura. Hoje o dia tenderá a ser mais calmo com a questão do shutdown a ser o tema que provavelmente dominará o espectro noticioso.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta