Sentimento de mercado – Surfar na onda do FED

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Sem grandes surpresas, Wall Street terminou a sessão de sexta-feira e a semana com uma tendência ascendente, que permitiu ao S&P500 e ao Dow Jones o segundo dia consecutivo de novos máximos históricos e mais uma semana de ganhos para os índices norte-americanos. Tudo à conta do FED, ou melhor na onda do optimismo que foi reforçado após Jerome Powell ter confirmado, quase inequivocamente, que o banco central que preside irá cortar os seus juros de referência na reunião no final deste mês, contudo e tal como tem sido habitual o entusiasmo foi constante mas leve, não só nas variações, com subidas entre os 0.8% e os 1.5% nas últimas cinco sessões para os principais índices, mas principalmente no volume, que continuou a ser bem abaixo da média de 7 biliões de negócios por dia, não chegando sequer a 6 biliões de transacções.
A grande dúvida nesta fase coloca-se na capacidade dos Bulls em conseguirem estender a pressão compradora por muito mais tempo, tendo já ultrapassado os dados económicos que saíram e que indiciaram um pequeno aumento acima do esperado da inflação. Às portas de mais uma earnings season as expectativas estão baixas, ainda assim um pouco melhores que no trimestre passado, com efeito, os analistas prevêem uma contracção de -3% nos lucros das empresas do S&P500, o que poderá na realidade significar um ganho ligeiro no final da época de reporte, visto que geralmente os números acabam por ser melhores que as previsões. Caso tal não aconteça, será o segundo trimestre consecutivo de recuo nos lucros face ao ano passado, uma vez que no primeiro trimestre o resultado final acabou por ser uma perda de -0.3%.
No mercado cambial, sexta-feira foi dia de fraqueza para o U.S dólar que cedeu -0.2% face a um cabaz de outras moedas principais, permitindo ao Yen um ganho interessante de 0.6% para os 107.86, enquanto que Libra inglesa e Euro registaram valorizações um pouco mais modestas de 0.4% e 0.2%. Para esta semana não são de esperar grandes movimentações a não ser talvez um pouco de interesse no seu final, altura em que alguns dos principais bancos norte-americanos começam a divulgar os seus resultados.


A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta