Sentimento de Mercado – Tecnológicas puxam por Wall Street

Marco Silva

Marco Silva

, Actualidade

Mais uma sessão e mais um dia em que a Apple foi determinante para o desfecho dos índices, isto porque recuperou das quedas do dia anterior ao averbar um ganho de 2,42%, em boa parte devido à notícia do Wall Street Journal de que os EUA estão a preparar uma nova ronda de negociações com a China, aproximação que o país asiático acolheu de bom agrado, o que acalmou os receios de um agravar da guerra comercial, numa semana onde era esperado que entrasse em vigor as tarifas alfandegárias sobre $200 biliões de produtos importados da China pelos EUA. Risco que não foi de todo posto de lado visto que o presidente norte-americano voltou ao Twitter para “informar” que os EUA não têm pressa para chegar a acordo e quem está pressionado é a China. Apesar da ameaça e de um ligeiro recuo do mercado o certo é que os investidores deram ontem mais crédito à aproximação entre as duas maiores economias do mundo, prova disso o facto das grandes exportadoras terem terminado com valorizações, nomeadamente a Boeing e a Caterpillar, que adicionaram 0.6% e 0.9% respectivamente.

No S&P500 as tecnológicas e o sector da saúde lideraram os ganhos enquanto que as retalhistas de produtos essenciais inverteram o movimento da sessão anterior ao registar a maior perda. No Forex o dia foi interessante, isto porque os dados sobre os preços ao consumidor nos EUA revelaram um arrefecer da pressão inflacionista, tal como já tinha acontecido com os preços no produtor, facto que levou a uma percepção de que o FED poderá refrear o movimento de subida dos juros, algo que Trump é a favor. O U.S dólar acabou a ceder terreno enquanto que a Libra inglesa e o Euro avançaram, a primeira devido à manutenção da taxa de juro pelo Banco de Inglaterra, já a moeda única beneficiou da indicação do BCE em terminar com a compra de obrigações soberanas até ao final do ano, começando a reduzir para metade as mesmas a partir de Outubro. Já a taxa de juro na zona Euro deverá manter-se inalterada até pelo menos ao verão de 2019.

A análise ao sentimento de mercado é patrocinada por Activtrades

Deixe uma resposta