Sonae cancela entrada em bolsa do retalho alimentar devido a condições do mercado

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A Sonae cancelou a entrada em bolsa da Sonae MC, a sua empresa da área de retalho alimentar, devido às condições adversas nos mercados internacionais, anunciou o grupo ao mercado.

“A Sonae SGPS, S.A. informa que, face às condições adversas nos mercados internacionais, a oferta institucional não se concretizará, o que determinará, consequentemente, a não execução da oferta pública de venda de ações da Sonae MC”, lê-se no comunicado do Conselho de Administração enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O grupo Sonae tinha anunciado na passada quinta-feira que ia colocar em bolsa um mínimo de 21,74% de ações da sua empresa da área de retalho alimentar, através de uma oferta pública inicial, com um preço entre 1,40 e 1,65 euros por ação.

A operação consistia na disponibilização de 217,36 milhões de ações ordinárias da Sonae MC, com possibilidade de disponibilização de mais 32,6 milhões de títulos, para investidores institucionais e para investidores em Portugal.

Em meados de setembro, a Sonae SGPS anunciou a intenção de colocar na bolsa de Lisboa as ações da Sonae MC, que integra os hipermercados Continente, os supermercados de conveniência Continente Modelo e Continente Bom Dia, as lojas Meu Super, as cafetarias e restaurantes Bom Bocado e Bagga e os supermercados Go Natural.

Na ocasião, a Sonae SGPS reivindicou que a Sonae MC “é o maior operador de retalho alimentar em Portugal, com uma quota de mercado de 21,9%”, com uma rede que abrange 567 lojas de retalho alimentar e 487 lojas de formatos adjacentes localizadas em áreas ‘premium’”.

Atualmente, o grupo Sonae tem duas empresas no índice bolsista PSI20, a Sonae SGPS e a Sonae Capital.

A Modelo Continente chegou a estar cotada, mas saiu de bolsa em 2006.

JNM // JLG

Lusa/Fim

Deixe uma resposta