Sonae próxima de inverter?

Tiago Esteves

Depois da última análise feita à Sonae, em meados de Dezembro, deixo-lhe agora um update. Podemos estar próximos de um ponto de inversão.

Olhando para a progressão do título no gráfico de 4H, reparem que pudemos assistir a um claro sinal de inversão de curto prazo com a activação de um H&S após quebra em alta dos 82 cêntimos. Quebra técnica perfeita, com volume crescente, e uma projecção que apontou para os 86,3 cêntimos.

H&S bottom activado no gráfico de 4 horas

Importa agora analisar esta inversão de curto prazo em perspectiva, e o que poderá significar para o médio prazo, já que no gráfico diário estamos muito próximos de um cenário técnico similar.

Caso se concretize a ultrapassagem dos 86 cêntimos, teríamos nesta fase um fundo em V a ser activado, com projecção a rondar os 95 cêntimos. Mais importante que o pequeno ganho de 10%, a concretizar-se esse cenário teríamos uma inviabilização do padrão de lower-highs e consequente inversão de longo prazo. Colocando-se este cenário na mesa, esta não é a opção mais sustentável para uma inversão definitiva de tendência na Sonae. Nem a mais provável.

É de esperar que, antes da quebra deste ponto, tenhamos uma nova retracção em forma de segundo ombro. Por que motivo seria este cenário mais interessante? Esta retracção daria aos investidores um ponto de referência para saída, o que asseguraria uma maior segurança à tentativa de entrada e consequente reforço do capital alocado à mesma. Neste momento, importa recordar, o ponto de stop mantém-se nos 78 cêntimos. Existem inclusive dois sinais que me levam a crer que, havendo quebra, esta não acontecerá já na próxima sessão: o título está muito sobrecomprado, e o volume da última sessão revelou alguma hesitação.

Agora que já exploramos os cenários mais desejáveis (e que eu arriscaria a dizer que até podem ser os mais realistas nesta fase), importa igualmente analisar o que pode acontecer numa perspectiva mais negativista. Caso a activação do padrão de inversão falhe (ou porque não acontece, ou porque há um falso break (possível até à zona dos 90 cêntimos, dado o máximo relativo anterior), iremos muito provavelmente para novos mínimos. Importa por isso assegurar que, independentemente do plano de entrada na Sonae, se tenha um ponto de stop bem identificado e que se saia efectivamente caso a fraqueza volte a dominar o título. Basta olhar para o passado recente para perceber que o título está cheio de tentativas de inversão que não se chegaram a concretizar.

Sonae – Gráfico Diário

 

Deixe uma resposta