Taxa de juro do crédito à habitação bate máximo desde novembro de 2016

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A taxa média de juro implícita dos contratos de crédito à habitação atingiu em abril o máximo desde novembro de 2016, subindo para 1,031%, revela hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Esta foi a maior subida ocorrida este ano, só ultrapassada por um aumento em novembro de 2016, quando a taxa média atingiu 1,032%, e acontece pelo segundo mês consecutivo, tendo em março a taxa subido para 1,025%.

Para o destino de financiamento aquisição de habitação, o mais relevante no crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos foi 1,053%, mas nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para aquele destino de financiamento passou de 1,556% em março para 1,557% em abril.

Considerando a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação vencida subiu um euro, fixando-se em 240 euros, mas nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação aumentou dois euros em abril, atingindo os 326 euros.

Em abril, o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos aumentou 47 euros face ao mês anterior, fixando-se em 51.817 euros, mas para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida subiu 430 euros para 97.727 euros.

VP // JNM

Lusa/fim

Deixe uma resposta