Um reinício de acompanhamento à Teixeira Duarte

Tiago Esteves
Hoje é dia de rever uma velha conhecida, outrora uma grande empresa do PSI20 e durante muito tempo reduzida ao estatuto de penny stock. Pelo menos foi assim até à semana passada, tendo ontem meritoriamente perdido esse estatuto após uma subida de 520% em dois anos! Hoje a Teixeira Duarte cota novamente fora da casa dos cêntimos, mais precisamente a um euro, depois de ter cotado a 16 cêntimos em finais de 2011. Caso raro de sucesso entre as empresas que afundam dia após dia, que deve ser encarada como a excepção e não a regra!

Este update serve sobretudo para assinalar que o ponto ontem atingido é uma fortíssima resistência que lhe valeu uma desvalorização de 85% em um ano, o que deixa marcas. Muitos haverão de querer vender as acções nesta fase, depois de um longo calvário, o que pode provocar pressão descendente.

É, ainda assim, de assinalar que o bull mode não mostra quaisquer sinais de inversão e nem sequer existem ainda dados de que a resistência provocará o tal abrandamento de que eu falo. Os volumes continuam saudáveis, fortes nas subidas e apáticos nas correcções. Caso esta resistência provoque de facto algum abrandamento, e caso o padrão de mínimos relativos consecutivamente superiores se mantenha inalterado, sou bem capaz de arriscar uma entrada longa nas próximas semanas…

Comment List

  • Trolha 15 / 01 / 2014 Reply

    Caro Surfador da Tendência, sem pretender colocar em causa o acerto das tuas afirmações, acho que a aposta na EDPR é, nas preesntes circunstâncias, uma boa aposta. Pelas seguintes razões:
    a) A EDPR está a ser cotada com um desconto de, pelo menos, 40% do valor dos activos (opinião unânime de todos os analistas, atendendo ao valor dos activos vendidos recentement);
    b) No caso da sua absorção em 2014 pela casa-mãe, o que se mostra mais do que previsível, as cotações irão dar um salto (como é habitual);
    c) A EDPR investiu milhares de milhões de Dólares e de Euros em excelentes activos com rentabilidade assegurada (com contratos de aquisição de energia a 20 anos). Um dia a verdade, tal como a azeite, virá ao de cima.
    d) Não é por acaso que a EDP pensa ficar só para sicom o «seu» ovo de ouro.

  • FilipeBS 15 / 01 / 2014 Reply

    Caro Trolha,
    Interessante ponto de vista. Só uma questão. Podes fundamentar melhor o porquê de achares que a absorção pela casa mãe poderá fazer aumentar o preço?

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 15 / 01 / 2014 Reply

    Olá trolha,
    Compreendo o teu ponto de vista, mas repara que eu não digo que a edpr não é uma empresa interessante do ponto de vista fundamental. Pelo contrário, já o disse em análises anteriores que esta é uma empresa de futuro com um enorme potencial. Agora, será que isso me vai fazer ganhar dinheiro no médio prazo? Essa é a única questão que me interessa, principalmente porque o longo prazo é neste caso uma incógnita ainda mais profunda do que já costuma ser geralmente em todos os títulos.

    Tecnicamente não comprarei edpr antes da quebra da resistência. Se a quebrar mudo de opinião e de perspectiva, já o fiz recentemente com a Altri e fá-lo-ei de novo se for o caso.

    Se a EDP decidir absorve-la durante um período ascendente e se for aplicada a regra dos últimos seis meses, a cotação baixa. O Belmiro já o fez, pq não hão-de os chineses fazer o mesmo?

    Mas volto a repetir, a Edpr é uma boa empresa. Só que considerando todas as outras em seu redor não faz para mim sentido suficiente escolhê-la neste momento

  • João Miguel 18 / 01 / 2014 Reply

    Caro Tiago, antes de tudo agradeço as suas análises e, principalmente o cuidado de justificar sempre as mesmas, o que revela ser bastante útil para quem se está a interessar e procura ir aprendendo.
    É possível comentar o que se passou esta semana com a TD?
    Entendo que com a notícia da assinatura do contrato as acções subiram. O facto de o pico ter acontecido na abertura penso indicar que houve um exagero número de ordens ao melhor (?). Daí para cá tem vindo a descer, para fechar o gap aos 1,05?
    No entanto admito que as subidas voltem devido ao valor da obra ganha e consequente impacto nas contas futuras…

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 19 / 01 / 2014 Reply

    Olá João. É por situações como a da Teixeira Duarte que eu nunca dou ordens nos picos de euforia matinal. Acredito que tenha sido muito isso, euforia desmedida após a quebra do suporte que tornou a subida insustentável. Ou muito me engano ou o preço de abertura vai servir de forte resistência à progressão das cotações. A ver vamos!

  • Anónimo 20 / 01 / 2014 Reply

    Boas Tiago,

    Como sempre análises excelentes.

    Eu tenho TDU a 0,755€ e aproveitei (de forma errada) para vender metade da posição a 1.01€ o que chegou a acontecer anteriormente. Tenho de melhorar estes pontos. De qualquer forma mantive metade para ver o que acontece, não vendi no máximo 1.44 (ou perto) porque acredito que os fundamentais da empresa são bons e com a inversão do ciclo económico a construção pode sair bastante favorecida.

    Tenho uma questão, a TDU só tem gráfico no pro-real time de 3-4 anos, está correcto?

    Cumprimentos,
    André

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 20 / 01 / 2014 Reply

    Olá André,
    Não me parece que tenhas tomado a decisão errada, fizeste scaling out da posição que tinha um lucro considerável junto de uma forte resistência. Era o que eu teria feito, uma quebra como a que ocorreu foi totalmente inesperada. Quanto ao prorealtime é verdade. Deve ter acontecido após mudança de ticker, que antes era TDU
    Abraço,
    Tiago

  • Anónimo 24 / 01 / 2014 Reply

    Tens razão quanto à parte do lucro considerável mas podia ter deixado correr…também é mais fácil falar à posteriori.
    Como a TDU tinha recuado nesse patamar decidi vender, o problema agora é achar um ponto de reforço.
    Achas que esperar por 1€ ou pela LT é o mais sensato? Não vejo outros pontos de momento ou então a resistência nos 1.20 (após ruptura?)
    Não será uma correcção muito forte se vier a esses valores (1€)?

    Tenho ideia de ter visto uns vídeos de 2006 em que a TD detinha posições no BCP, daí ter achado estranho. Obrigado!

    Particularmente gosto mais da TD do que da Soares da Costa mas se vier aos 0,44-0,45 acho que vale a entrada.
    Abraço,
    André

  • Miguel 05 / 02 / 2014 Reply

    Boa tarde Tiago,

    Será possível fazer um update breve à análise da Teixeira Duarte? Pelo andamento da votação não me parece que vá ganhar a sondagem semana.

    Obrigado.

  • Trolha 15 / 02 / 2014 Reply

    Vou tentar justificar a minha afirmação de que comprar, agora, EDPR pode ser uma boa aposta.
    O free float (22,5%) da EDPR está, maioritariamente, nas mãos de investidores institucionais. Ora, para a OPA da EDP (mãe) ter sucesso com vista à retirada da EDPR da bolsa é necessário que adquira a quase totalidade das acções (julgo que terá de deter mais de de 90% do total das acções). E então poderá lançar uma aquisição potestativa sobre as acções cujos titulares não aceitaram vender.
    Não estou a ver os investidores institucionais a abrir mão dum activo que eles sabem ser de grande potencial de valorização no futuro.
    Vai ser um braço de ferro interessante de seguir. E estou convencido de que nesta guerra os pequenos investidores vão ganhar.
    Se estiver enganado, peço desde já desculpas a todos.

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 15 / 02 / 2014 Reply

    É uma visao interessante, trolha. Eu gostava muito de continuar a ver a EDPR cotar em bolsa, espero que tenhas razão

  • Trolha 27 / 02 / 2014 Reply

    Obrigado, Tiago Esteves, pelas tuas simpáticas palavras.
    Quando escrevi o meu 1.º comentário (15/01/2014) a EDPR tinha fechado no dia anterior a €4,31 (14/01/2014).
    No dia 25/02/2014, fechou a €4,76 (aumento de 10%). Hoje, desceu, quanto a mim muito por culpa dos investidores que trocaram EDPR por EDP a pensar que esta iria subir em bolsa, como subiu, antes de se conhecerem os resultados de 2013 da EDP (no fim da sessão). Mesmo assim ainda cotou a €4,681. E as perspectivas de valorização futura são boas como afirma o research do BCP e do BPI (pelos menos).
    Continuação de bons negócios para todos

Deixe uma resposta