Visabeira reforça para 90,514% do capital da Vista Alegre

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

A Visabeira já detém 90,514% no capital da Vista Alegre Atlantis (VAA), depois de ter adquirido 3.835 ações em abril e maio deste ano, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O grupo comprou os títulos, em várias operações, por um preço entre 1,32 euros e 1,45 euros, dependendo dos dias.

“A Visabeira Indústria SGPS, S.A. informou a VAA – Vista Alegre Atlantis, SGPS, S.A. de que, após tais transações, passou a ser diretamente titular de 137.951.225 ações, representativas de 90,514% do capital social e direitos de voto da VAA”, lê-se na mesma nota.

Além disso, “atentas as participações existentes, se consideram imputáveis a Fernando Campos Nunes um total de 143.499.641 ações representativas do capital social da VAA – Vista Alegre Atlantis, SGPS, S.A., correspondentes a 94,154% do capital social e direitos de voto”, segundo o comunicado.

A Visabeira Indústria é detida pelo grupo Visabeira, que tem como acionista maioritária, a NCFGEST SGPS (com quase a totalidade do capital), sendo esta última entidade integralmente detida pelo sócio individual Fernando Campos Nunes, a quem deverão, por isso, ser imputadas as ações e os respetivos direitos de voto.

O grupo detalhou também que a obrigação de comunicação destas transações resulta do facto de os administradores da Visabeira Indústria Nuno Miguel Rodrigues Terras Marques, Alexandra da Conceição Lopes e João Manuel Pisco de Castro, “serem, simultaneamente, administradores da VAA”, lê-se na mesma nota.

No início do ano, a Visabeira anunciou que controlava 90,506% do capital social e direitos de voto da VAA, depois de ter adquirido mais 4.135 ações da empresa, entre os dias 24 de dezembro e 04 de janeiro.

Em abril, o presidente executivo da Visabeira, Nuno Marques, disse à Lusa que 2018 foi “um ano positivo” para o grupo, tendo registado um aumento de 2,6% do lucro, face a 2017, para 51,4 milhões de euros.

O volume de negócios consolidado aumentou 16,8% no ano passado, para 745 milhões de euros, e o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) cresceu 14,8% para 142 milhões de euros.

ALYN (ALU) // CSJ

Lusa/Fim

Deixe uma resposta