Vista Alegre garante dois novos contratos no valor de 16,2 ME para o 2.º semestre

Agência Lusa

Agência Lusa

, Notícias

O grupo Vista Alegre Atlantis, que tem as marcas centenárias Vista Alegre e Bordallo Pinheiro, anunciou hoje que assegurou a contratualização de duas novas encomendas no valor de 16,2 milhões de euros para o segundo semestre.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo, que detém fábricas de porcelana, cristal, vidro, grés e faiança, refere que “uma altura de bastantes incertezas no mercado global a Vista Alegre mantém a colaboração com grandes insígnias mundiais, de que são exemplo, as operações contratualizadas”.

Uma das operações destina-se “a um grande retalhista francês, e resulta de uma parceria já de longa data com a marca Zwilling, conhecida pelas suas facas de elevada qualidade e pelos acessórios de produtos para a cozinha”, adianta.

“O outro contrato, protegido por um acordo de confidencialidade, foi realizado com uma insígnia bem conhecida e vai ‘chegar’ a casa dos consumidores, um pouco por todo o mundo”, assevera a Vista Alegre.

Num comunicado divulgado em 30 de abril, o grupo Vista Alegre Atlantis (VAA) anunciou a prorrogação da suspensão temporária de contratos de trabalho (‘lay-off’) anunciado no início de abril até final deste mês.

Este prolongamento abrange “cerca de 28,5% dos trabalhadores das unidades produtivas Vista Alegre e Atlantis de Ílhavo e Alcobaça, respetivamente, nos segmentos de porcelana e cristal e, entre 09 e 31 de maio cerca de 19,7% dos trabalhadores da unidade produtiva Bordallo Pinheiro das Caldas da Rainha no segmento da faiança, estando nesses períodos os demais trabalhadores destas unidades a prestar trabalho a tempo inteiro ou com redução temporária do período normal de trabalho semanal”.

Na altura, a VAA anunciou também a “retoma parcial da atividade da unidade produtiva Ria Stone em Ílhavo no segmento grés de mesa a partir de 04 de maio de 2020, prorrogando-se a suspensão temporária de contratos de trabalho apenas com relação a cerca de 3,2% dos trabalhadores” até final deste mês, “estando os demais trabalhadores desta unidade a prestar trabalho a tempo inteiro ou com redução temporária do período normal de trabalho semanal”.

Na altura, a Vista Alegre sublinhou que a retoma de dois terços da capacidade instalada daquela unidade tinha sido “previamente consensualizada com o cliente Ikea e a sua retoma total está alinhada com o plano em curso de reabertura de lojas de retalho deste cliente”.

Na altura, a empresa anunciou a redução de “de 50% das remunerações dos membros do Conselho de Administração da VAA em funções, com efeitos a abril do ano em curso e enquanto perdurar a situação de ‘lay-off’ simplificado nas suas subsidiárias”.

ALU // JNM

Lusa/Fim

Deixe uma resposta