ZONOP em zona de definições

Tiago Esteves
Deixo um update à Zon Optimus num dia em que vendi metade da minha posição activa. Tinha aberto no início do mês duas posições, com exposição equivalente a 3x a minha exposição habitual, e com base em duas estratégias distintas. A posição aberta com base no triple screen foi stopada logo no arranque, a posição aberta com base no padrão de higher-low manteve-se com sucesso.

Foi de metade desta posição que me desfiz hoje, depois de ter sido atingido o meu stop profit no início da sessão. Fi-lo porque fiquei com algumas dúvidas relativamente à força que a ZONOP terá para quebrar a forte zona de resistência que se aproxima, especialmente considerando o volume decrescente a que assistimos durante esta subida.

Será isso motivo para encerrar totalmente a posição? A meu ver não, continuamos em bull mode e só uma quebra em baixa dos 4,8€ alteraria o meu sentimento a esse respeito. Só essa quebra em baixa me fará vender a restante posição. Mas quando os sinais de força começam a escassear, o scaling out poderá ser uma estratégia a considerar.

Comment List

  • Anónimo 19 / 02 / 2014 Reply

    Tivemos a mesma estratégia 😛

    Eu vendi ontem metade da posição a 5.44, não o fiz mais perto dos 5.50€ porque nem tive hipótese de os ver, também não esperaria uma abertura daquelas.

    Espero que a reacção à zona de resistência não seja forte…nem que estejamos a negociar dentro de um canal de negociações, conforme já o referiste Tiago. (4,80-5,5€)

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 19 / 02 / 2014 Reply

    Se não houver uma quebra da resistência poderemos estar próximos de um preocupante sinal de alerta para todo o índice.
    Mas ainda é cedo para falar nesse cenário, até ver continuamos em tendência claramente ascendente em todo o índice

  • Nuno 19 / 02 / 2014 Reply

    Caro Tiago
    Em relação a uma pergunta que coloquei ontem no excelente webinário, aqui fica um esclarecimento que recebi há tempos do BEST. Parece portanto que a cobertura de risco é diferente consoante se trate de CFDs ou de acções/ETFs.
    Cumprimentos,
    Nuno

    Relativamente à questão sobre risco cambial nos CFDs (de activos subjacentes denominados em moeda diferente da moeda da conta), poderei dizer que no caso deste tipo de instrumentos, esse risco está presente essencialmente nas mais ou menos valias e não no valor nominal da operação, como é o caso de quando adquire uma acção/ETF directamente.

    No caso da aquisição de acções, por exemplo, o investidor necessita de converter fundos para fazer face a 100% do investimento. A conversão é novamente feita quando desmobiliza o investimento. Durante esse período o investidor incorre em risco cambial.

    Quando investimos em CFDs, não adquirimos propriamente um determinado instrumento (não há conversão cambial de capital no início), mas entramos numa posição (negociada em margem) que vai sendo reavaliada originando um ganho/perda potenciais. E será este ganho ou perda determinados no dia de encerramento da posição, que necessitará de conversão cambial. Devido à incerteza quanto ao valor desse ganho ou perda e quanto ao momento em que a posição é fechada que torna a cobertura cambial pouco viável, no caso dos CFDs.

  • Hugo O'Neill 19 / 02 / 2014 Reply

    Com o volume a decrescer parece-me que foi uma excelente 1ª saída, além disso com a notícia do FOMC (Federal Open Market Committee) hoje às 19:00 GMT poderá ter consequências inesperadas no mercado.

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 19 / 02 / 2014 Reply

    Olá Nuno,
    Obrigado pela partilha. Essa explicação pode ser válida para a aquisição de determinados activos, nomeadamente cfd's sobre etf's (eventualmente). Quando o activo replicado pelo cfd é cotado em outra moeda, o cfd faz a evolução subjacente à do activo, sofrendo da (des)valorização equivalente à da moeda. Se eu estou longo num activo que passou de 10 para 20 dólares, o cfd também evolui de 10 para 20 dólares. Logo, a evolução subjacente deve ser coberta na totalidade. Não conheço os cfd's do BEST, admito que possa haver um qualquer mecanismo diferente. Mas sinceramente não me parece provável…

  • Anónimo 19 / 02 / 2014 Reply

    Se a Zon voltar aos 4,81€ esse será um excelente ponto para reforçar a metade que foi vendida 🙂

    Mas se o PSI20 ajudar poderemos ter novo reteste aos 5.5X€

    De qualquer forma estou tranquilo com este trade, uma vez que já retirei mais-valias, e vou ficar a aguardar pelos próximos movimentos. Caso rompa a resistência com volume (para não ser um falso break) será de reforçar, é isto, Tiago?

    Abraço,
    André

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 20 / 02 / 2014 Reply

    Obrigado Hugo.

    André,
    Sim, o breakout levar-me-ia a reforçar novamente a posição

    Abraço

  • Nuno 21 / 02 / 2014 Reply

    Obrigado Tiago. Eu sei que não tem a ver com o post mas aqui fica uma nova resposta do BEST:

    Relativamente ao risco cambial das posições de CFDs (em moeda diferente da moeda da conta), de facto, o risco cambial está limitado à mais/menos valia, mas isso decorre das características do próprio produto, a quais foram exemplificadas anteriormente.

    Como referi anteriormente, quando entramos na posição, o sistema cativa uma margem na moeda da conta (equivalente ao valor na moeda original do produto, e que actualiza continuamente). Sendo assim, não existe uma efectiva troca de moeda no momento inicial. Esta margem é “libertada” no momento do fecho da posição. Nessa altura o sistema calcula as mais/menos valias na moeda do produto e converte-as para a moeda da conta, e portanto só nessa altura é que existe conversão de moeda.

  • Tiago Esteves
    Tiago Esteves 21 / 02 / 2014 Reply

    Nuno,
    Será então provavelmente uma especificidade dos CFD's do Best. A minha corretora, pelo menos, não funciona dessa forma.
    Abraço

Deixe uma resposta